22 de maio de 2017

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - ESCANDALOS NA PRIMAVERA - LIVRO 04 - LISA KLEYPAS

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - ESCANDALOS NA PRIMAVERA - LIVRO 04 - LISA KLEYPAS

Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa.

Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift.

Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado? 

Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos Na Primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.


NOTA SOBRE O LIVRO

Escândalos na Primavera é o quarto e último livro desta série.

Finalmente chegou a vez de Daisy Bowman encontrar sua cara metade, mas claro que teria que haver algumas desavenças antes de se dar conta do amor. Daisy ficou muito irritada com a intimação que recebeu de seu pai quanto a casar-se. Com relação ao pretendente, primeiro veio a grande ira e depois a enorme atração por Matthew Swift. Óbvio que ela não soube reconhecer o sentimento de imediato, assim como não soube reconhecer o quanto o deixava afetado. A raiva e a ansiedade não são boas companheiras, mas a baixa auto-estima também não colaborava em nada. Ela estava tão acostumada a ser "ignorada" pelos homens, que não soube reconhecer que ao invés de desprezá-la ou rejeitá-la, Matthew a queria demasiadamente.

O segredo de Mathew não é nada magnânimo, mas achei interessante e até diferente do que normalmente estamos acostumado a ter como "empecilhos" para a saúde dos relacionamentos. Daisy também foi bem mais ousada do que sua irmã e amiga até, mais avançada arriscando sua reputação embora não faça o tipo "revolucionária" ou "a frente se seu tempo", pois ela no fundo era uma romântica.

As quatro estações do amor entra para a lista de romances de época que gostei bastante de ler e para quem gosta do gênero, a leitura flui de forma bem suave e agradável!


ONDE COMPRAR O LIVRO:

Saraiva (livro físico) - clique aqui - R$ 27,90 em 22/05/2017 (hoje exclusivamente com frete grátis em todo site)
Saraiva (livro digital) - clique aqui - R$ 21,00 em 22/05/2017

Submarino (livro físico) - clique aqui - R$ 26,04 em 22/05/2017

Americanas (livro físico) - clique aqui - R$ 26,04 em 22/05/2017

23 de abril de 2017

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - PECADOS NO INVERNO - #03 - LISA KLEYPAS

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - PECADOS NO INVERNO - LIVRO 03 - LISA KLEYPAS

Agora é a vez de Evangeline Jenner, a Wallflower mais tímida que também será a mais rica quando receber sua herança. Mas primeiro ela tem que escapar das garras de seus ambiciosos parentes, Evie recorre a Sebastian, visconde de St Vincent, um conhecido mulherengo, com uma proposta incrível: que se case com ela!

A fama de Sebastian é tão perigosa que trinta segundos a sós com ele arruínam o bom nome de qualquer donzela. Mesmo assim, esta cativante jovenzinha se apresenta em sua casa, sem acompanhante, para lhe oferecer sua mão.

Mas a proposta impõe uma condição: depois da noite da lua-de-mel, o casal não voltará a ter relações íntimas. Evie não deseja torna-se apenas mais uma que Sebastian descarta sem piedade, o que significa que Sebastian simplesmente tem que trabalhar mais duro na sua sedução... ou, talvez entregar seu coração pela primeira vez em nome do verdadeiro amor.



NOTA SOBRE O LIVRO: 

Para meu total desespero, ao final do segundo livro da série, me deparo com Evangeline (Evie) na casa de St. Vincent para tratar de interesses pessoais - para ambos. Nunca imaginei que ela teria tamanha coragem, mas a minha surpresa maior foi porque St Vincent não era a pessoa que eu imaginava que formaria par com ela. Ele se deixou levar pela influência da condessa viúva e pela oportunidade de se casar com uma moça rica e salvar sua pele.

Evangeline Jenner (23 anos), a terceira Folha Seca da série também era conhecida pelos chás de cadeira durante os bailes a cada temporada. Nenhum pretendente a marido e nenhuma perspectiva de vida além dos maus tratos recebidos pela família de sua falecida mãe. A mãe de Evie se envolveu com um homem reprovado por sua família, mas que formou grande fortuna. Tudo o que os parentes da garota desejavam era colocar as mãos na fortuna que ela poderia herdar a qualquer momento, já que seu pai estava com a saúde bastante comprometida.

Sebastian (32 anos) estava a beira da pobreza, pois seu pai, o duque não era um homem que saiba administrar bem o dinheiro e como sabemos desde o segundo livro, sua mesada estava por um fio. Logo nos primeiros capítulos deste terceiro livro, toda aquela impressão de que ele não prestava vai se esvaindo e mais uma vez a autora mostra que quem vê cara não vê coração. Ele era só um homem desprovido de apegos sentimentais, que pouco se importava com a fama de libertino e devasso, que sempre se envolveu com inúmeras mulheres e nunca se apaixonou por nenhuma. Para ele tudo se resumia a sexo e mais nada.

Evangeline estava ameaçada a se casar com seu primo Eustace (um gordo seboso dominado pelos pais e pela gula) justamente para que seus tios pudessem continuar dominando sua vida. Ela sempre foi mal tratada e proibida de ver o pai, mas agora, sua única alternativa era se casar com Sebastian para finalmente poder se ver livre da família. Juntos eles fugiram pra Gretna Green, na Escócia, para formalizar e oficializar o casamento. O acordo era que dormiriam juntos apenas uma noite para consumar o casamento e depois disso, nunca mais, porém, o que Sebastian não contava era que o sexo com Evie seria espetacular... para sua desgraça total... kkkkkkkkkkkk

Ivo Jenner era o proprietário de um clube de fama não muito respeitosa e por esse motivo ele mantinha Evie afastada. Ao retornar para Londres com o marido, Evie seguiu diretamente para o clube a fim de cuidar de seu pai em seus últimos dias de vida. Pouco tempo após a chegada de Evie, finalmente Ivo faleceu, porém, esse é um dos menores males, afinal, seu tio Pelegrine estava a sua procura e ela nem ao menos sabia quem era seu real inimigo e quais motivos ele teria de verdade. A cereja do bolo é Sebastian desejando loucamente Evie e ela, por sua vez, sem se render aos seus desejos, afinal, ela não quer ser apenas mais uma mulher na coleção de transas de Sebastian.

Tudo gira em torno dessa relação e da proteção que Sebastian estava disposto a oferecer a sua esposa. No meu ver, o ponto chave de todas as histórias de Lisa Leypas é ligado ao fato de que até mesmo nós, leitores, estamos submetidos a julgar seus personagens pelo que interpretamos deles...

Leitura concluída e 4 estrelas... e dei só quatro porque eu imaginei que o risco da relação de Evie e Sebastian seria outra coisa... mas gostei!


ONDE COMPRAR O LIVRO:

Saraiva (livro impresso) - clique aqui - R$ 25,90 em 23/04/2017
Saraiva (livro digital) - clique aqui - R$ 10,90 em 23/04/2017

Submarino (livro impresso) - clique aqui - R$ 21,28 em 23/04/2017

Americanas (livro impresso) - clique aqui - R$ 26,04 em 23/04/2017

21 de abril de 2017

FILME - SAND CASTLE (CASTELO DE AREIA) - NETFLIX

FILME - SAND CASTLE (CASTELO DE AREIA) - NETFLIX

Durante a ocupação americana no Iraque, um grupo de soldados acaba de concluir uma ação vitoriosa em Badgá. Antes de voltarem aos Estados Unidos, eles têm uma última missão: ir ao pequeno vilarejo Baquba, região pouco conhecida pelas tropas estrangeiras. A tarefa dos militares é reativar o serviço de água dos habitantes, destruído pelo próprio exército americano. O soldado Matt Ocre (Nicholas Hoult) não tem vocação para a vida no exército, mas precisa buscar ajuda dos iraquianos a fim de concluir o difícil serviço. Mas como confiar nos inimigos? Como fazer o povo atacado confiar nos americanos?


NOTA SOBRE O FILME

Hoje, dia 21/04/2017 estreou no Netflix o filme Sand Castle. Confesso que estava bastante ansiosa pela estreia e com grande expectativa em relação ao filme. Definitivamente está na hora do Henry fazer filmes mais interessantes para o universo feminino, porque, definitivamente filmes de guerras não fazem meu gênero. Ele pouco aparece no filme e tirando sua bela aparência, mais nada no filme me agradou.

A história se passa no ano de 2003 quando um grupo de soldados americanos precisa restaurar a rede de transmissão de água que eles mesmos destruíram. Só restabelecer a estação não é nada quando na verdade precisam enfrentar um outro grupo de inimigos que não possuem o menor interesse em que tudo volte a funcionar.

O soldado Matt Ocre (Nicholas Hoult), um novato prestes a presenciar o calor e o horror da guerra é o personagem principal dessa história e ele faz parte desse grupo empenhado em arrumar a bagunça toda.


16 de abril de 2017

SÉRIE - 13 REASONS WHY (OS 13 PORQUÊS) - JAY ASHER

SÉRIE - 13 REASONS WHY (OS 13 PORQUES) - JAY ASHER

A série gira em torno de Clay Jensen, um estudante tímido do ensino médio, que encontra uma caixa na porta de sua casa. Ao abri-la, ele descobre que a caixa contém sete fitas cassete gravadas pela falecida Hannah Baker, sua colega que cometeu suicídio recentemente. Inicialmente, as fitas foram enviadas para um colega, com instruções para passá-las de um estudante para outro. Nas fitas, Hannah explica para treze pessoas como eles desempenharam um papel na sua morte, apresentando treze motivos que explicam porque ela se matou. Hannah deu uma cópia das fitas para Tony, um de seus colegas da escola, que avisa para as pessoas que, se elas não passarem as fitas, as cópias vazarão para todo mundo, o que poderia levar ao constrangimento público e vergonha de algumas pessoas, enquanto outros poderiam ser ridicularizados ou presos.


NOTA SOBRE A SÉRIE:

A série, originada pelo livro (traduzido para o português) "Os 13 Porquês" de Jay Asher chegou ao Brasil pelo Netflix em 30/03/2017 e tem feito muito sucesso. Certamente depois da série o livro terá uma vendagem bem maior e muita procura, até porque, creio que muita gente quer saber o que acontece depois do final do último capítulo. Eu mesmo já estou pesquisando mais sobre isso porque quero saber (sem ter que esperar a próxima temporada) sobre a continuação.



CONSIDERAÇÕES:

1) antes do sucesso da série (no Brasil), o livro de Jay Asher tinha como capa exatamente o formato de uma fita cassete (quem tem a minha idade certamente já teve uma coleção delas) com o número 13 representando os 13 motivos de Hannah Baker e as fitas onde ela fez suas gravações;

2) qual é o motivo para um livro custar R$ 51,00 (cinquenta e um reais)? É o conteúdo, a quantidade de páginas, o tipo do papel, a diagramação ou simplesmente a oportunidade de se "ganhar" dinheiro em cima do interesse das pessoas? Gente, de verdade, adoro livros, sou totalmente favorável que as pessoas adquiram cada vez mais o hábito pela leitura, apoio a venda dos exemplares, mas realmente isso chega ser um assalto!

O meu ponto de vista está errado? Talvez, mas é bem curioso que o livro já esteja sendo vendido com a nova capa - a da série - exatamente por este preço exorbitante.

Quanto custava esse mesmo livro - com a capa original - cerca de 3 ou 4 meses atrás? Ou melhor, quanto custava esse livro antes da notícia da série (primeira temporada) ser lançada no Brasil?

Isso realmente é frustrante e decepcionante, pois nos dias atuais, com tanto desemprego, tanta falcatrua, tanta sacanagem política, quem é que tem coragem de pagar esse valor em um livro?

Eu não pago!
Para comprar esse livro, somente quando o valor voltar a ser justo (no mínimo).

Pensem nisso, Editoras e Livrarias!



Hannah Baker era uma jovem de 17 anos, bonita, inteligente, esperta e a filha única dos Baker's. Por fora, uma menina pura, ingênua e que desejava fazer amigos e se tornar popular. Por dentro, tornou-se uma jovem retraída, solitária, perdida e sem perspectiva de vida ao ver sua moral e sua reputação ser rechaçada por outros jovens de sua idade sem o menor senso de responsabilidade, caráter, pudor, respeito ou qualquer outra coisa que já deveriam ter há muito tempo, principalmente porque não eram jovens sem instrução e porque a escola onde estudavam não era um lixão onde só aprendessem violência e vandalismo. Ou será que eram?

Estamos falando de um colégio americano e não de um colégio público na periferia do Brasil. Imagina-se que pela classe social, lá, deveria ser um lugar melhor... só que não, porque essa mesma falta de responsabilidade, caráter, pudor, respeito ou qualquer outra coisa independe de classe social, localização geográfica ou conta bancária. Polêmico, não?

APRESENTAÇÃO DOS PERSONAGENS PRINCIPAIS:

Núcleo Escolar

1) Justin Foley
2) Jessica Davis
3) Bryce Walker
4) Alex Standall
5) Zack Dempsey
6) Tyler Down
7) Tony Padilla
8) Clay Jensen
9) Kevin Portier
10) Montgomery de La Cruz
11) Marcus Cole
12) Shery Holland
13) Courtney Crimsen
14) Ryan Shaver
15) Brad

Clay, jovem de 17 anos, filho único, o pai é professor e a mãe é advogada. Ele é um jovem tímido e sem popularidade. Passa a ser notado quando os demais jovens descobrem que ele é o atual detentor das fitas de gravadas por Hannah, que passa a ser "temido" pelo que possa fazer ao descobrir o conteúdo das fitas e também perseguido pelos principais citados nas fitas.

Hannah conta como foi seu primeiro beijo com Justin e como sua reputação foi manchada quando o garoto espalhou para os amigos que havia transado com Hannah enquanto Bryce Walker espalhava pelo colégio uma foto comprometedora de Hannah. 

Conta sobre a amizade que fez com Jessica Davis e Alex Standall e como eles se afastaram dela quando começaram a namorar. Conta inclusive como Jessica culpou Hannah quando o namoro terminou e em seguida, como novamente foi exposta ao ter seu nome em uma lista que circulou pelo colégio criada por Alex.

Hannah se aproxima de Courtney (lésbica, mas que até então ninguém sabia) e ambas tem a "amizade" exposta novamente pela lente indiscreta de Tyler Down, um garoto estranho que vive com uma câmera fotográfica nas mãos e que persegue Hannah como um paparazzi. Hannah acaba sendo hostilizada novamente no colégio e também por Courtney, que para preservar sua identidade, não tem nenhuma consideração pela garota e espalha boatos mentirosos.

Marcus Cole, um babaca também, que humilha Hannah diante dos amigos em um encontro. Ele é membro do conselho estudantil e tenta passar uma imagem incorruptível, honesta e prestativa, mas não passa de um imbecil (assim como os demais). Zach até tenta se aproximar de Hannah e expõe seus sentimentos para a garota, mas dados os últimos acontecimentos, ela o rejeita e ele, por vingança, age tal qual seus amigos. Aliás, Zach era um bom garoto, mas se escondia atrás de uma máscara para que todos os garotos populares pensassem que ele era tal qual como eles, quando na realidade, não era. 

Ryan Shaver rouba um dos poemas de Hannah e publica em uma revista não oficial do colégio. Quando o poema é divulgado (sem o conhecimento  e aprovação de Hannah), todos percebem que tanto a letra do poema quanto o conteúdo pertencem a ela e novamente a garota é humilhada perante todos.

Hannah se vê envolvida em uma sucessão de fatos que vão deixando-a cada vez mais transtornada, pois presencia o estupro de uma das garotas que a humilhou, sente-se culpada por uma infração cometida por outra garota e que a omissão da mesma provoca um acidente levando a morte um inocente e sem contar que ela mesma acaba sendo vitima de outra agressão e que a única pessoa para quem ela correu pedindo ajuda, virou-lhe as costas.

Talvez se Hannah tivesse pedido ajuda a outras pessoas nada disso teria acontecido. A pergunta que me faço é: Hannah tinha razão em tirar a própria vida destruindo assim a vida de seus pais, que agora movem um processo contra o colégio? Isso foi um ato de desespero ou covardia? Um ato de coragem ou um momento de insanidade movido pelo descontrole emocional? Será que Hannah foi exagerada, dramática e só queria chamar a atenção para si mesma? Não sei... ainda não consegui digerir tudo isso e formar uma opinião sólida, mas sei que estou muito mexida com tudo isso e pensando muitas outras coisas. Muitas outras coisas inclusive relacionadas a mim mesma! Tenho certeza que cada um de nós nos sentimos "meio Hannah" quando comparamos as coisas vividas por ela e alguns fatos da nossa vida.

Por que estou dizendo isso?
Bem, certamente cada um de nós já sofreu ou ainda sogre algum tipo de bulling ou preconceito. Ninguém nunca fez uma piada sem graça sobre seu corpo, seu cabelo, sua pele, sua altura, sua cor? Ninguém nunca julgou sua capacidade pelos mesmos motivos? Ninguém nunca inventou uma mentira a seu respeito para se dar bem ou para se fazer engraçado? Ninguém nunca inventou uma mentira a seu respeito para se dar bem na vida e/ou simplesmente te prejudicar de alguma forma?

O ambiente de Hannah se passa em um colégio. A violência de certa forma acaba sendo caracterizada por algo que seja muito comum. Algumas pessoas poderão dizer "eu já sofri bulling e não me matei", mas eu acho que isso vai de cada indivíduo e do quanto cada um de nós aguenta ou aguentou. Do quanto absorvemos e do quanto deixamos que tais fatos do dia a dia interfiram em nossa vida direta ou indiretamente!

Tudo aquilo que alguém usa contra você e que te incomoda de alguma forma é um tipo de agressão, por isso, temos que medir nossas palavras, nossas atitudes, parar de pensar que somos melhores, que a capacidade das pessoas está em sua forma física, sua cor, seu modo de falar, de vestir ou de andar. Não pense que o bulling está relacionado apenas aos ambientes escolares não. O termo remete a jovens, remete a escola, remete a "crianças", quando na verdade está relacionado ao dia a dia de cada um. Pense no que você fala sobre seu colega de trabalho ou no que falam a seu respeito, Julgar os outros é muito fácil!

Cuidado, a imagem que você vê em seu espelho pode estar um pouco distorcida. Não necessariamente você é o agredido. Em alguns casos você pode ser o agressor!

Quando Hannah revela em suas gravações os atos cometidos por cada um dos envolvidos, todos passam a temer e isso porque todos possuem telhados de vidro. Eles sabem o que fizeram e o que falaram, como agiram e agora estão todos com medo das consequências. Pensando em Hannah, no meu ponto de vista, teve um que foi o pior de todos, o mais odioso, embora cada um tenha sua parcela. Dos citados por Hannah, tirando Zach, os demais, ao meu ver, merecem suas punições. Com o processo que os pais de Hannah estão movendo, tudo isso virá a tona agora, resta saber como cada um vai agir e reagir desde já.

Clay foi o único que se envolveu verdadeiramente com a dor de Hannah, que defendeu e mesmo com todos os medos, com toda sua dor pessoal, ele não desistiu de querer que a justiça fosse feita. Com a ajuda e proteção (até onde deu) de Tony, Clay não se deixou vencer pelas armações contra ele. No final das contas, sua fraqueza virou forças sim e você vai entender a razão!


A SÉRIE: Assista agora mesmo no Netflix!
Particularmente eu gostaria muito que as pessoas que já viram a série ou já leram o livro postassem seus comentários sobre eles ou expressassem suas opiniões! Convite lançado!


ONDE COMPRAR O LIVRO (se você for como eu, aguarde o preço baixar! A melhor resposta do consumidor ao abuso de preço é deixar o produto no estoque)

Saraiva (livro impresso) - clique aqui - R$ 51,00 em 16/04/2017
OBS: Não tem o livro no formato digital na Saraiva)

Submarino (livro impresso) - clique aqui - R$ 40,80 em 16/04/2017
(capa original do livro)

Americanas (livro impresso) - clique aqui - R$ 40,80 em 16/04/2017
(capa original do livro)


OBS: Como mencionei acima, os valores para este livro estão realmente bem caros. Eu particularmente só vou comprar quando entrar em alguma promoção porque sinceramente, não estou encorajada a este preço elevado.

14 de abril de 2017

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - ERA UMA VEZ NO OUTONO - #02 - LISA KLEYPAS

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - ERA UMA VEZ NO OUTONO - LIVRO 02 - LISA KLEYPAS


A jovem e obstinada Lillian Bowman sai dos Estados Unidos em busca de um marido da aristocracia londrina. Contudo nenhum homem parece capaz de fazê-la perder a cabeça. Exceto, talvez, Marcus Marsden, o arrogante lorde Westcliff, que ela despreza mais do que a qualquer outra pessoa.

Marcus é o típico britânico reservado e controlado, mas algo na audaciosa Lillian faz com que ele saia de si. Os dois simplesmente não conseguem parar de brigar.

Então, numa tarde de outono, um encontro inesperado faz Lillian perceber que, sob a fachada de austeridade, há o homem apaixonado com que sempre sonhou. Mas será que um conde vai desafiar as convenções sociais a ponto de propor casamento a uma moça tão inapropriada?


NOTA SOBRE O LIVRO: 

A família Bowman saiu dos Estados Unidos da América, onde fizeram grande fortuna, em direção a Londres, em busca de um marido para as filhas Lilian (a mais velha) e Dayse (a mais nova) que fosse da aristocracia inglesa. Claro que nos livros que lemos normalmente os aristocratas são homens belos, bem sucedidos, de excelente linhagem e educação, são honestos e tudo mais... Não que não tenhamos homens assim, mas é que nessa quadrilogia, a realidade (vamos dizer assim) é um pouco diferente. 

Os ingleses não viam os americanos com bons olhos, pois suas riquezas haviam sido adquiridas através de trabalho e não, por heranças de títulos nobres como os deles. Era como se enriquecer a base de trabalho fosse horrendo ou desonesto (risos irônicos). Sendo assim, o intuito das irmãs era um amadrinhamento até que conseguissem um casamento.

Lilian Bowman não era uma garota dócil e recatada. Ela era impulsiva e não aceitava ser desafiada ou controlada por ninguém. Pudemos observar no primeiro livro que o pouco contato que Lilian teve com o conde de Westcliff foi cheio de farpas e afrontas. Aqui, a relação dos dois não foi nada amena.

Marcus era um homem firme, mas de um bom coração (daqueles que não deixava transparecer e que você - e quem o conhecesse bem - só observava a medida em que o conhecesse melhor). Lilian tinha um dom bem apurado em reconhecer o cheiro das coisas, (haja visto que seu pai tinha uma fábrica de sabonetes) e ela ficou encantada ao descobrir um perfume encantado. Ela só não esperava que o tal perfume fosse atrair justamente o conde e deixá-lo completamente louco por ela.

Quem acabou amadrinhando (contra gosto, claro) as irmãs foi a condessa viúva, a mãe do conde e a velha era um poço de arrogância. Ela simplesmente abominava os americanos. Para ela, eles valiam menos que nada, porém, para seu castigo, suas duas filhas casaram-se com americanos. Sua esperança era Marcus, o conde, se casasse com uma moça de excelente linhagem inglesa, desse continuidade ao sangue azul e ao nome da família Marsden. 

Neste segundo livro também vamos conhecer o libertino incorrigível e quase pobre, St. Vincent, cujo pai, um duque, estava a beira da falência e ele com os dias de mesada contados. Ele era famoso por seus casos extra-conjugais ocultos e alguns escandalosos. 

Todos estão reunidos em Hampshire, na mansão do conde de Westcliff e a convivência foi necessária. Obviamente que Marcus e Lilian acabaram se envolvendo, mas Lilian se viu entre St. Vincent (sua opção de fazer um casamento com um aristocrata) e Westcliff (o homem por quem ela realmente estava apaixonada), no entanto, ainda houve uma armação que envolveu Lilian e Marcus.

A autora mostrou através de Lilian que as tradições londrinas eram repletas de falsidade e de hipocrisia, pois muitos ingleses possuíam títulos, tradições, linhagens, mas não possuíam dinheiro. Se escondiam atrás das máscaras enquanto que os americanos esbanjavam dinheiro e eram tidos como "sem educação". Lilian não se importava em nada com os ensinamentos da condessa e as duas se alfinetavam vez ou outra mostrando a hostilidade entre o que cada uma julgava certo ou errado. No entanto, não pense que essa condessa era flor que se cheirasse porque a velha era o cão em forma de gente.

Essa força de personalidade e determinação de Lilian sempre atraíram Marcus. Por mais que ele não falasse sobre seus sentimentos ou pouco demonstrasse, era somente Lilian a detentora do poder sobre sua felicidade pessoal. Ele sabia que qualquer outra mulher não daria conta dele.

Outra lição que a autora passou é que quem vê cara não vê coração mesmo. As quatro moças, denominadas "Folhas Secas" são prova do quanto essa frase é verdadeira, assim, como outros personagens, que deixam bem claro essa afirmação.

Fiquei realmente de queixo caído com o final desse livro onde a deixa para o próximo foi sensacional. Estou muito curiosa para saber o que vai acontecer...


ONDE COMPRAR O LIVRO:

Saraiva (livro impresso), clique aqui - R$ 31,90 em 14/04/2017
Saraiva (livro digital), clique aqui - R$ 19,99 em 14/04/2017

Submarino (livro impresso), clique aqui - R$ 26,04  em 14/04/2017

Americanas (livro impresso), clique aqui - R$ 26,04 em 14/04/2017

25 de março de 2017

LIVRO - A BELA E A FERA - ELIZABETH RUDNICK

A BELA E A FERA - ELIZABETH RUDNICK


Bela deseja para sua vida muito mais do que a pequena cidade provinciana de Villeneuve pode oferecer. Lá, ela se destaca da multidão com um ponto de vista único, uma independência vigorosa e um notável amor pelos livros. Ela anseia por viagens e aventuras, e por uma vida tão empolgante quanto as histórias que lê, mas, quando seu amado pai é aprisionado por uma fera em um castelo encantado, o destino de Bela muda para sempre. Ao arriscar sua liberdade e seu futuro, ela assume o lugar do pai, jurando-lhe que escaparia em segredo. No entanto, conforme aprende mais sobre a Fera e seu misterioso castelo, Bela descobre que pode haver mais sobre a história dele – e sobre a sua própria – do que ela jamais poderia ter imaginado.



NOTA SOBRE O LIVRO:

Muito tem se falado sobre o novo filme de "A Bela e a Fera" e isso porque esta história, que já tem muitos anos, continua conquistando gerações. Lembro dessa história quando ainda era pequena e hoje, posso desfrutar de suas mensagens com outros olhos. Esta seria somente mais uma história de contos de fada onde a Fera se apaixona pela jovem bonita e o feitiço sobre ele é desfeito como em um passe de mágicas.

Em 1991 estreou o desenho da Disney com a História da Bela e a Fera (que eu amo, tenho o DVD e não me canso de assistir) e agora, em 17/03/2017 estreou o Filme, que eu amei na mesma intensidade. Nesta postagem então vou falar da história do livro - que é a mesma do filme - e no final, uma ressalva sobre o filme.

O livro (com a capa do filme) também foi oficialmente lançado pela Editora Universo dos Livros no mesmo dia da estréia do filme. A edição está muito bonita, são 205 páginas, as folhas são macias (quem ama livro entende isso) e a diagramação também está bem feita.

Por trás de tudo que há neste conto, cada um consegue enxergar uma mensagem diferente.

A principal mensagem no meu ponto de vista está sobre o julgamento das pessoas quanto ao que é realmente belo, quanto a aparência das pessoas, como se as pessoas elegantes e bonitas fossem sempre boas. Bem diz o ditado que quem vê cara não vê coração. O jovem Príncipe era dessas pessoas que julgava tudo e todos por sua aparência, sem contar no quanto era mimado, grosseiro e cruel. Sua arrogância era tanta que ele não desconfiou que aquela velha feia e maltrapilha que batera à sua porta era uma feiticeira, maltratando-a e escorraçando-a de seu Castelo. Tudo que a "velha" queria era abrigo por uma noite para escapar da tempestade, mas o Príncipe negou, mesmo ela tendo lhe oferecido uma rosa. Diante da empáfia do príncipe, a feiticeira lhe jogou um feitiço onde ele foi transformado em Fera. O feitiço só seria desfeito se ele aprendesse a amar de verdade e fosse correspondido antes que a última pétala daquela rosa encantada caísse, caso contrário, ele estaria condenado àquela maldição para toda vida. No filme ele é interpretado pelo ator Dan Stevens.

Gaston é arrogante, prepotente, convencido e muito, muito, muito egocêntrico. Ele deseja Bela a todo custo, porém, nele a maldade é muito evidente, pois ele não mede esforços nem tem escrúpulos para conseguir o que deseja. No filme ele é interpretado pelo ator Luke Evans. Gaston é acompanhado de perto de Lefou, um tipo de fiel escudeiro (puxa saco) que vive à sombra de Gaston e que não tem o menor senso de amor próprio ou dignidade. Gaston não deixa de ser um bom partido e desejado pelas mulheres da aldeia, mas Bela simplesmente o despreza porque no fundo ela sabe que ele não serve para ela. O único sentimento que ele desperta em Bela é o desprezo. Não que Gaston ame Bela, ao contrário, ele ama somente a si e ter Bela é uma conquista.

Bela é uma jovem sonhadora e seu passatempo favorito é ler. Moradora desta pequena aldeia e de origem muito simples, vive com seu pai, um senhor de coração muito humilde e singelo, porém, muito sábio em suas palavras. Maurice parece estar meio desligado quando está desenvolvendo suas "artes", porém, no momento certo, quando Bela o questiona se ele a considera estranha, seu conselho é incontestável.

"As pessoas que falam pelas costas dos outros estão destinadas a permanecer ali atrás da pessoa de quem falam mal. E jamais vão alcançá-la."

Talvez o que Maurice tenha tentado passar para a filha é que as pessoas da aldeia não eram más, mas sim, que eram pessoas de pouco espírito e de rara inteligência, pois era mais fácil considerar Bela estranha do que alguém superior a eles. Maurice não é um alienado. Ele é um pai zeloso e que ama sua filha. Sofre com a morte da esposa, mas nunca transmitiu abertamente sua dor à filha preservando o sofrimento dela.

Bela sonha com algo mais, sabe que é muito diferente das outras pessoas que vivem na mesma aldeia e sente que não pertence àquele lugar e que também não é bem vista. Todos a consideram estranha, esquisita. No cinema, Bela é interpretada pela atriz Emma Watson.

Nas entrelinhas podemos observar que Bela é o retrato da "mulher moderna". Bela pensa, Bela é culta, Bela gosta de ler, Bela não quer apenas se casar, ter filhos e ser submissa ao seu marido. Um marido que ela nem mesmo ama. A sociedade, há muitos anos atrás já era machista e preconceituosa. Não que isso tenha mudado, mas de uma forma ou de outra a mulher que pensa, que fala o que sente, que demonstra o que gosta ou não gosta, que luta pelos seus ideias e que sabe exatamente o que quer ou não quer nem sempre é vista com bons olhos e, Bela, é a personificação desta mulher que não se submete a qualquer coisa e muito menos a qualquer pessoa.

Não é a toa que ela usa toda sua coragem para enfrentar a Fera e é com seu jeito que ela, sem pretensão, consegue atingir o coração daquela Fera. A convivência os torna mais próximos, mas nenhum dos dois consegue decifrar seus sentimentos até que a Fera compreende que não é aprisionando Bela que ela será feliz ao seu lado e Bela, ao ver que a Fera estaria em perigo, corre em sua defesa. É fácil amar o belo, difícil é conviver com os defeitos. O que conquista uma pessoa não é sua aparência, mas sim quem ela é de verdade. O que cada um de nós somos é um reflexo de nossas atitudes, do nosso comportamento e até mesmo do nosso egoísmo.

"Alguém pode ser feliz se não for livre?"

RESSALVA SOBRE O FILME:

O filme se assemelha bastante ao desenho. As cenas são quase as mesmas, porém, o filme se aproxima muito mais do livro do que do desenho. A tecnologia é perfeita, os detalhes são ricos e a Fera rouba mesmo a cena. Quem tiver o prazer de assistir em 3D tenho certeza que vai adorar. Em muitos momentos se tem realmente a impressão de que se pode tocar os personagens e que as coisas voam diante de seus olhos. Ler o livro e ver o filme ao mesmo tempo foi bem gostoso, pois é como se eu lesse o filme e visse o livro... Uma delícia! O que eu menos gostei foi a cantoria. Embora no desenho tenha muitos momentos cantantes, realmente para o filme achei cansativo.

De um modo geral o filme foi bem fiel ao livro, até mesmo as falas dos personagens, são bem fiéis. Saí do cinema dizendo "vou ver de novo" e certamente o DVD ou o Blu-Ray será uma aquisição para fazer companhia ao livro e ao desenho.


ONDE COMPRAR O LIVRO

Saraiva (livro impresso), clique aqui - R$ 22,70 em 25/03/2017

Submarino (livro impresso), clique aqui - R$ 27,90 em 25/03/2015

Americanas (livro impresso), clique aqui - R$ 22,50 em 25/03/2017


O DVD (duplo) também pode ser comprado no Submarino. Hoje com o preço de R$ 16,90 (o mesmo dvd que eu tenho e menciono acima). Clique aqui e confira!


E quem tiver coragem de comprar as miniaturas dos personagens principais, por R$ 159,90 (em 25/03/2017), clique aqui.

Eu amei esse mimos e estou com muita vontade de ganhar de presente!

Lindos!

19 de março de 2017

LIVRO - CHEGA DE SAUDADE - RICARDO AZEVEDO

CHEGA DE SAUDADE - RICARDO AZEVEDO

Depois da aposentadoria, uma velha professora resolve desfrutar a vida. Reencontra um velho amigo e, com ele, parte para uma viagem meio louca aos olhos da família. O texto é uma mensagem de otimismo e esperança, mostrando que os idosos ainda têm direito de sonhar e de continuar ativos e criadores.




NOTA SOBRE O LIVRO: 

Este livro foi lançado a primeira vez em 2006 e posteriormente relançado pela Editora Moderna. Um livro rápido, com apenas 128 páginas, leitura fácil e cativante que mostra que a terceira idade não é um bicho de sete cabeças ou uma doença incurável. Através de seus personagens o autor transmite ao leitor que idade não é empecilho algum. Se você tem em casa uma pessoa que pensa que a vida acabou porque está "envelhecendo", aconselho este livro como presente e uma forma singela de dizer "você está vivo".


ONDE COMPRAR O LIVRO

Eu recomendo a compra hoje no site da Saraiva, pois o preço está por apenas R$ 9,90. Clique aqui e compre o seu!

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - SEGREDOS DE UMA NOITE DE VERÃO - #01 - LISA KLEYPAS

QUADRILOGIA - AS 4 ESTAÇÕES DO AMOR - SEGREDOS DE UMA NOITE DE VERÃO - LIVRO 01 - LISA KLEYPAS


Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar. Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. 

Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle. No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em levá-la ao altar – apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. A jovem está decidida a rejeitar essa proposta, só que é cada vez mais difícil resistir à sedução do rapaz. As amigas se esforçam para encontrar um pretendente mais apropriado para ela, mas a tarefa se complica depois que, numa noite de verão, Annabelle se entrega aos beijos tentadores de Simon... e descobre que o amor é um jogo perigoso.


NOTA SOBRE O LIVRO:

A série, ou quadrilogia (como queiram) da escritora Lisa Kleypas é composta por quatro livros conforme cronograma abaixo. Gostei muito da nomenclatura “As quatro estações do amor” onde ela segue a linha das estações do ano exatamente na ordem em que elas ocorrem para cada uma de suas histórias. Para deleite de quem não sofreu aguardando as publicações e ainda não leu nada dela, agora a leitura pode ser sequencial e sem sofrimento porque os quatro livros já estão devidamente lançados e publicados no Brasil. São narrados em terceira pessoa – da forma como eu amo! 

1) Segredos de uma noite de verão 
2) Era uma vez no outono 
3) Pecados no inverno 
4) Escândalo na primavera 

A autora traz um cenário um pouco diferente, já que os personagens principais não são tão nobres assim. A Família de Annabelle está falida após a morte do pai e sem um dote, a garota (atualmente com 25 anos) está ficando solteirona e sem um bom partido para o casamento. A autora traz uma situação bastante perturbadora, porque Annabelle não tem uma terceira opção. Ou ela se casa com um bom partido ou seu destino será tornar-se amante de alguém que a mantenha e para a época, isso, obviamente, era um escândalo. Não que as pessoas fossem perfeitas, ao contrário, todas com muitos defeitos e muitos pecados, mas é sempre mais fácil falar da vida dos outros e fingir que não erra. 

Simon Hunt é um dos filhos de um açougueiro, mas não foi exercendo a profissão do pai que ele enriqueceu. Um homem inteligente e visionário para sua época se tornou um grande empresário, porém, apesar de todo dinheiro, Simon não tinha um título de nobreza e por esse motivo sabia que não era bem visto pela mesma sociedade que condenava Annabelle. Aos 33 anos era um homem forte, bonito, atraente e muito, muito inteligente, porém, estava longe de seus ideais se tornar um homem casado. Era considerado um plebeu por todos os nobres – mesmo que falidos – da sociedade inglesa. 

Durante um dos últimos bailes da temporada Annabelle conhece Lillian e Daisy Bowman (irmãs) e Evie. Cada uma com suas peculiaridades, mas que praticamente estão na mesma situação que Annabelle. Ambas conhecidas pelos intermináveis chás de cadeira que tomam durante os bailes, já que nenhuma das quatro recebe nenhum convite para dançar e que estão desesperadas para casar. As jovens traçam um plano onde juntas encontrarão um marido para Annabelle e na sequência para as outras três. O palco deste plano será em Hampshire, na mansão do Conde Westcliff (um homem difícil, porém bem interessante). 

Algumas pessoas possuem atitudes e caráter de nenhum valor. Pessoas maldosas e oportunistas. Dentre as pessoas repugnantes está o tal Sr. Hodgehan, que é um homem que se dizia amigo do pai de Annabelle e que transa com a mãe de Annabelle em troca de lhe dar algum dinheiro e obviamente, o canalha está de olho em Annabelle, por isso não perde uma oportunidade de importuná-la. 

Em resumo, a história nos mostra que naquela época era muito comum as pessoas se casarem apenas por interessem tanto homens quanto mulheres e que amor, respeito, dedicação e fidelidade era algo que não tinha valor. Todos fingiam ser felizes, mas no fundo, o que sempre comandou o mundo foi o dinheiro. Simon e Annabelle obviamente se apaixonaram, mas nenhum dos dois deu o braço a torcer, até que o casamento foi inevitável. Nunca haviam se declarado apaixonados um ao outro, mas o desejo entre eles certamente é evidente e incontestável. Todos, inclusive a família de Simon deduziram que Annabelle só se casou com ele visando o dinheiro. Inclusive o conde pensava o mesmo e não tinha a jovem em boa conta. Precisou acontecer um desastre para que todos enxergassem a verdade e só então ambos se declarassem apaixonados. 

O que eu mais gostei nessa história foi o aprendizado que todos os personagens adquiriram, mas principalmente Annabelle, porque ela foi criada sob a perspectiva de que felicidade estava relacionada a títulos e com muito custo, mas sem “mimimi” ela aprendeu que felicidade é muito mais do que tudo isso. Ela é uma moça forte, corajosa e destemida, apesar de toda inocência, mas aos poucos, nos braços de Simon, ela vai descobrindo os prazeres da vida, o amor e que o que realmente importa é estar com ele, ao lado dele, mesmo que não haja títulos. A sociedade, seja daquela época ou dessa, sempre foi e sempre continuará sendo muito hipócrita, pois todos julgam sempre a partir da aparência. É preciso realmente conhecer o interior de uma pessoa para amá-la ou não. O julgamento sempre virá de alguma forma, porque pé comum no ser humano se achar no direito de se apropriar da vida do outro.

#eurecomendosim!


ONDE COMPRAR O LIVRO

Saraiva, clique aqui (modo impresso) - R$ 31,90 em 19/03/2017
Saraiva, clique aqui (modo digital) - R$ 19,99 em 19/03/2017

Americanas, clique aqui (modo impresso) - R$ 26,17 em 19/03/2017

Submarino, clique aqui (modo impresso) - R$ 26,17 em 19/03/2017

Nota: Os três anunciantes informam que os preços estão com desconto pela "semana do consumidor". Por isso sempre recomendo pesquisar os livros que deseja comprar e comparar os preços. Eu costumo colocar em uma planilha o valor do dia que estou pesquisando e se não for comprar naquele dia, no dia que for comprar, comparar se está o mesmo preço e, se for "promoção" ou "desconto" verificar se realmente procede.

14 de março de 2017

LIVRO - OS MAIS BELOS CLÁSSICOS INFANTIS


OS MAIS BELOS CLÁSSICOS INFANTIS


Esta é uma coletânea de clássicos infantis, num total de 25 títulos, especialmente selecionados para que você leia e se divirta com aventuras incríveis e ilustrações encantadoras! Acompanha VCD com 4 vídeos animados.


NOTA SOBRE O LIVRO: 

Eu não deixaria de vir recomendar a vocês esse livros incrível.

São 25 histórias clássicas da literatura infantil e totalmente ilustrado. Capa dura e com 201 páginas ao todo.

As ilustrações são muito bem feitas e as letras das histórias são bem legíveis, além dos textos serem curtos para atrair a garotada e incentivá-los a criar o hábito da leitura.

Minha sobrinha tem só um ano e seis meses (hoje), mas ela será muito bem estimulada a gostar de ler, afinal de contas, a tia dela não vai perder tempo, claro.

Enquanto ela não tem idade para usufruir, eu estou curtindo no lugar dela, tanto para ler as histórias quanto para assistir o VCD que acompanha o livro e que conta 4 das 25 historinhas em vídeo.

Se antes eu já gostava desses livros, agora muito mais e pretendo fazer uma mini-coleção.


ONDE COMPRAR O LIVRO

Eu comprei a minha edição na Saraiva na promoção de 50% de desconto pelo dia Internacional da Mulher, mas o preço normal do livro está em R$ 31,90. Clique aqui e garanta o seu também!

10 de março de 2017

LIVRO - À BEIRA DA LOUCURA - ELISA MASSELLI


À BEIRA DA LOUCURA - ELISA MASSELLI

No sertão da Bahia, Cida foi encontrada quase morta. Ao se recuperar, constatou que não lembrava do que lhe havia acontecido e o que estava fazendo naquele lugar, naquelas condições. Passou um longo tempo à procura dessas respostas. Somente amigos, tanto encarnados como desencarnados, poderiam ajudá-la. Enquanto tentava descobrir, recebeu ensinamentos espirituais preciosos, que a fizeram entender o que alguém é capaz de fazer por ciúmes. Somente o perdão poderia ajudá-la a seguir em frente. Descobriu, também, que a rejeição poder levar qualquer um À Beira da Loucura.


NOTA SOBRE O LIVRO:

À beira da loucura é um romance espírita e está de capa nova. Aliás, a primeira vez que li este livro foi há mais de 10 anos atrás e ele foi o segundo livro no estilo que eu li. Não preciso nem dizer que adorei e depois dele não parei mais. Quer dizer, parei depois que comecei a agregar outros temas e formatos no vício que é a leitura. Quando eu li este livro, foi emprestado por uma amiga e recomendado por ela, claro e há muito tempo eu estava querendo comprá-lo, mas a sua edição estava esgotada, mas hoje, fuçando pelo site da Saraiva, encontrei essa nova edição e não resisti. Agora só esperar o entregador chegar.

A história se passa no interior da Bahia onde Cida é encontrada por quase morta. Neco e Jurema, um casal humilde e de poucos recursos cuida da moça até que ela acorde, porém, quando isso acontece, ela não se lembra de nada e nem os motivos que alguém poderia ter tido para deixá-la naquele estado. A vida deste casal também não é nada fácil. Jurema sofre com a morte de outro bebê e agora, grávida novamente, está desesperada, porque outro filho era tudo que ela não queria. Não quer mais sofrer!

Ela então se envolve com Dr. Daniel, o médico que cuida dela e com ajuda dele e de Neco e Jurema, sua saúde vai melhorando, mas sua memória não volta... quer dizer, não voltava, até que ela se recorda do que aconteceu para que ela fosse agredida daquela forma e  quase morresse e principalmente, descobre em que ponto ela contribuiu para tudo isso! Seria Cida tão inocente assim, teria sido um assalto, um acerto de contas? Cida tem um passado do qual não se lembra, então, até que conheçamos a verdade, fazemos nosso próprio julgamento.

A história passa para a gente quais são os frutos daquilo que plantamos, seja nessa ou até mesmo em outras vidas (para quem acredita). Para quem não acredita, vale a pena a leitura do ponto de vista "romance" e "ficção".

Creio que devido ao fato deste livro ter sido lançado em 2008 e por outro selo é que tenha sido e continua sendo difícil encontrá-lo em qualquer livraria. Eu comprei o meu na Saraiva, então, se você quiser viajar nessa história, clique aqui e compre seu livro agora mesmo.

#eumaisquerecomendo!

9 de março de 2017

SÉRIE - FLORES DA TEMPORADA - A SOMBRA DA ROSA - LIVRO 1.5 - BABI A. SETTE


SÉRIE - FLORES DA TEMPORADA - A SOMBRA DA ROSA - LIVRO 1.5 - BABI A. SETTE

Após dois anos de procura, Arthur, o nono duque de Belmont, finalmente reencontra a sua amada Kathelyn. Ele estava preparado para tudo, exceto para a possibilidade dela não aceitá-lo de volta.

Kathelyn não estava preparada para reencontrar o único amor de sua vida, quem dirá perdoá-lo por todos os erros cometidos no passado.

Nesse spin-off, Babi A. Sette presenteia os leitores com cenas cheias de emoção, romance e doces surpresas, onde o leitor conhecerá como esse casal apaixonado e teimoso alcançará o seu merecido final feliz.

LEITURA INDICADA PARA QUEM LEU A PROMESSA DA ROSA - CONTÉM SPOILERS DO ROMANCE E NÃO É UMA OBRA INDEPENDENTE.


NOTA SOBRE O LIVRO:

A Sombra da Rosa é mais um conto do que um livro propriamente dito. Isso porque ele tem (no modo ebook) 1466 posições (algo em torno de 100 páginas) e é um romance para ser lido apenas se você já leu o livro “A Promessa da Rosa”, pois se trata de um spin-off do romance que conta a história de Kathelyn e Arthur, o nono duque de Belmont. Este spin-off veio para suprir a lacuna nos capítulos finais da Promessa da Rosa, quando algumas questões ficaram meio que sem uma definição ou uma explicação. 

Esta nota contém Spoiler, então, como sempre digo, não leia daqui pra frente se você não gosta deles. Apenas saiba que eu li e recomendo esta leitura, na sequência dos livros, é claro! 

Com este spin-off vamos saber exatamente quais penalidades Arthur sofreu no período em que – novamente – se separou de Kathelyn e como foi a reconciliação – dois anos depois, quando realmente ficaram juntos (lá na Promessa da Rosa). Quando conhecemos os fatos lá atrás, alimentamos de alguma forma, uma certa raiva pelo duque e, lá no fundo, desejamos que ele pagasse pelos erros. Não tenho dúvidas de que nossos instintos mais internos e não expressados tenham sido compensados agora, porque o que esse homem pagou realmente é digno de dó. 

“ No começo, ele quis gritar. Depois quis agarrá-la como um homem das cavernas e levá-la até o altar amarrada e, então sobre os ombros até o quarto, se assim fosse preciso.” 

Redenção? Perdão? Orgulho? Teimosia? Desencontros? Armações? Jogos de interesses? 

Essa história é repleta de tudo isso e mais um pouco. 

Aqui temos a resenha da “Promessa da Rosa” e aqui também “O Despertar do Lírio”, que devem ser lidos na sequência sim, pois alguns fatos interferem na leitura das histórias. Se eu listasse tudo o que acontece e todos os sentimentos que vagueiam entre esses dois personagens, praticamente recontaria a história, então, tudo que posso dizer no momento é que orgulho ferido e teimosia levaram esses dois a muitos desencontros e até mesmo à redenção.

A Sombra da Rosa é encontrado apenas no formato ebook pela Amazon, mas, para quem ler até o final, saberá uma novidade - que logo não será mais novidade - mas que está relacionado ao novo trabalho da autora, que no meu ponto de vista, está ficando cada vez melhor... Dizem que a pratica leva à perfeição e eu afirmo que quanto mais ela pratica sua escrita e sua criatividade, melhor ela fica...

#eurecomendo

5 de março de 2017

TRILOGIA - O AMANTE - DESCULPA, EU TE AMO - #03 - JODI ELLEN MALPAS

TRILOGIA - O AMANTE - DESCULPA, EU TE AMO - LIVRO 03 - JODI ELLEN MALPAS

A saga de Ava OShea e Jesse Ward chega ao fim no mais romântico, mas não menos picante, dos três livros que compõe essa trilogia erótica, best-seller mundial. 

O segundo volume da série termina com o belo e rico empresário se ajoelhando e pedindo a decoradora em casamento. No entanto, o futuro cor-de-rosa não se concretiza de pronto e, apesar de uma sofisticada e bela cerimônia de casamento no libidinoso Solar, o casal se separa novamente. E isso é só o começo deste terceiro e último livro da trilogia O Amante. Um fantasma do passado de Ward voltará a aterrorizá-lo e não só irá comprometer o sonhado final feliz ao lado de Ava, como também colocará em risco a vida dos dois, numa sequência fabulosa de percalços, com direito a ameaças anônimas e perigosas perseguições automobilísticas pelas ruas de Londres. Será que os dois vão ter seu sonhado final feliz?


NOTA SOBRE O LIVRO:

Chegamos então ao final desta louca história de Jesse e Ava.

Como eu disse nas demais postagens, se você não gosta de spoiler então é melhor parar por aqui e saber apenas que eu recomendo a leitura desta trilogia e que com todos os momentos em que tive vontade de socar ora um, ora outro, o casal realmente me conquistou.

O terceiro e último livro começa com o casamento de Jesse e de Ava e com a mãe de Ava enlouquecendo Jesse. Pensa que o casamento foi o final feliz? KKKKKKK Engana-se, pois nele foi só o começo de uma nova série de problemas na vida dos dois. Primeiro problema é aguentar as frescuras da mãe deslumbrada de Ava. Depois encarar Dan, o irmão de Ava e seu caso mal resolvido com Kate. Para ajudar a piorar a questão, Coral, a ex de Van Der Haus deus as caras também! Muita emoção para um dia só!

Quanto aos personagens que foram surgindo, eu pouco me enganei com eles. Victoria é somente uma mulher invejosa e fútil. Tom é só um gay extremamente espalhafatoso e exagerado. Sally realmente foi iludida e enganada. A pobre coitada serviu apenas de isca. Coral tentou dar o bote. (O nome “Coral” remete a memória da gente às cobras peçonhentas e ela realmente é). Matt não passa de um idiota frustrado e invejoso. Ele é o tipo de cara que se acha a oitava maravilha do mundo, mas no final das contas, não é nada. Van Der Haus, que andou muito quieto, quando deu o ar da graça foi para revelar sua obsessão por Ava e a grudenta Ruth Quinn provou que realmente seu grude tinha fundamento.

De tudo isso, todas as impressões e justificativas que Ava nos apresentou para o comportamento controlador e destemperado de Jesse, ficam claras que iam além. Jesse tem um passado muito mais marcado do que havia sido revelado até então. Jesse carrega culpas.

Confesso que no terceiro livro, algumas passagens, no meu ponto de vista se tornaram desnecessárias. A mãe de Ava é uma pessoa cansativa e muita cena de sexo seguida. Isso eliminaria facilmente algo em torno de 50 páginas do livro e iria direto ao ponto. O irmão de Ava para mim também foi uma surpresa. Apesar de eu não ter simpatizado com ele e não sei dizer por que, ficou claro que fazia sentido. A sorte dele foi o amor de Jesse por Ava, que não tem tamanho, limite, medida e nem nada que possa impedir.

O suspense que gira em torno dos personagens Ava e Jesse realmente é a cereja do bolo desse terceiro livro. A história de Sarah acaba sendo revelada, Sam e Kate finalmente se entendem. Drew fica meio esquecido e mesmo assim ainda acabou sendo colocado em uma situação bem delicada. O pobre coitado foi usado e no meu ver não se deu bem com mulher nenhuma. Eu torceria por ele com Sally no final das contas, mas pelo visto os dois ficaram a ver navios...

Resolvidos os problemas, finalmente a história de Ava & Jesse chega ao seu final com um bom “the end”... E a certeza de que eles foram mesmo feitos um para o outro...

OBS: Nesta edição a revisão foi bem melhor, pois não encontrei erros! 😊

1 de março de 2017

TRILOGIA - O AMANTE - EU, SUBMISSA - #02 - JODI ELLEN MALPAS

t
TRILOGIA - O AMANTE - EU, SUBMISSA - LIVRO 02 - JODI ELLEN MALPAS


Jesse Ward queria Ava OShea e a teve. Em poucas semanas, esse empresário sedutor se revelou intenso, temperamental e controlador, mas também gentil, carinhoso e protetor. Após um turbilhão de emoções e sensações, Ava se rendeu à paixão, mas acabou se afastando depois de conhecer um lado obscuro de seu amante, que parecia perfeito demais para ser verdade. Longe dele, a talentosa decoradora se sente vazia, incompleta, em total agonia. Mas, assim como um vício, ficar longe do empresário era a única maneira de sobreviver, considerando sua faceta autodestrutiva. Porém, não se escapa de Jesse Ward, e Ava devia saber disso! Por outro lado, Jesse também sofre com a montanha-russa de emoções que a chegada de Ava em sua vida proporcionou, e é pego de surpresa por seus próprios sentimentos, além de uma dependência doentia por seu objeto de desejo. Passados cinco dias desde que foi deixado por Ava, bêbado e furioso, em sua luxuosa cobertura, num bairro sofisticado de Londres, ele volta a encontrá-la e a controlá-la com suas inebriantes técnicas de conquista. Mas Ava está determinada a descobrir a real faceta que o empresário esconde com a ajuda de uma entourage de amigos e funcionários fiéis. A missão é ambiciosa, mas ela não vai desistir!


NOTA SOBRE O LIVRO: 



O Sétimo Céu de Jesse!
É assim que Ava define a relação - nos bons momentos, claro - com Jesse Ward!

Bem, é impossível falar sobre este livro de agora em diante sem revelar alguns spoilers da história, então, se você não curte revelações, melhor parar por aqui e saber que adorei o livro. Devorei e repito que não sei porque demorei tanto para ler essa história. Eu recomendo!

No primeiro livro Ava e Jesse se conheceram e iniciaram um relacionamento conturbado - para variar um pouco - até que chegaram ao ponto de se separarem.

Os motivos da separação são os mesmos de sempre: Obsessão, dominação, possessividade, controle total e invasão completa de privacidade além de muitos segredos. Quando Ava descobriu o que acontece no "Solar" ela não soube lidar com a situação - diferentemente de Kate, que após o choque até se tornou membro do "clube". Ela também sabe agora de muita coisa e talvez seja por isso que vestiu a camisa do JFC - Jesse Fantástico Clube e não reprova as atitudes de Jesse e desconversa muita coisa com Ava.

Jesse chegou ao fundo do poço quando Ava foi embora e agora só conseguiu se erguer novamente porque ela o resgatou, mas isso não fez com que o relacionamento melhorasse. Ao contrário, pois ele continua tão obsessivo, possessivo, dominador e controlador como antes, além de sua performance incrível no sexo. Associado a isso está o medo contante de Ava de que Jesse volte a beber (e volte a ficar como ela o encontrou na cobertura durante o resgate), apesar dele insistir em afirmar que não é alcoólatra. No começo fiquei confusa com a "implicância" dele com o fato dela beber. Aliás, agora entendo porque ele não a reprime quando bebe perto dele e fica transtornado quando ela bebe longe dele. Há uma explicação que nem de longe passou pela minha cabeça.

Jesse passa por cima das pessoas que ele imagina que vão atrapalhar seus planos com Ava como um rolo compressor. Ele não mede esforços e não está nem aí se há outras pessoas presentes.

Jesse distrai muito Ava e com isso ela perde os lances das questões mais claras e evidentes, além de perder os melhores argumentos. Ela não se dá conta que jamais poderá medir forças com Jesse. Ela precisa ser mais atenta e mais inteligente. Nesse ponto até eu me perdi quando ela presenciou uma situação e quando a poeira foi baixando, sua justificativa foi além do que meu QI havia identificado. Confesso que no desenrolar da cena eu julguei-a como mimada, como irresponsável ou inconsequente, mas depois, compreendi seu ponto de vista.

" - Não é isso que quero dizer. Quero dizer a dor de ver o homem que eu amo se ferindo. Nada nunca vai me machucar mais do que ver você fazer isso. Isso vai me matar, mais nada."

No Solar há muitas mulheres que se jogam aos pés de Jesse e a enxergam como uma intrusa. Lógico que ela é uma intrusa, afinal, nunca nenhuma delas teve de Jesse mais do que um sexo casual enquanto Ava é detentora de seu corpo, alma e coração. Os homens também enxergam que Jesse está tendo sua dose de punição, pois ele sempre foi um filho da puta... (vocês vão entender).

No rol dos inimigos meu faro diz que Ruth, a cliente grudenta, é mais do que uma cliente qualquer. Também ficou claro que o magnata Van Der Haus viu a chance de usar Ava contra Jesse.

Matt ainda não desistiu de Ava, Sarah continua sendo uma cadela (e Jesse precisa se dar conta disso) e Sally pode estar sendo "usada" por algum dos inimigos ou pode apenas ser mais um deles - talvez uma forte informante. Victória também me deixa com a pulga atrás da orelha e até Tom acabou entrando para minha lista de possíveis suspeitos.

Quando entendi o "que rola" no Solar, fiquei meio desconfiada de que Jesse fosse inserir Ava nesse universo, mas não. Ele jamais irá submetê-la ao que acontece no Solar e muito menos compartilhá-la. Jesse deixa muito claro o tempo todo que Ava é somente sua.

Durante a festa de aniversário do Solar, Ava está deslumbrante, mas muitas coisas acontecem para descontentá-la. Diante de tudo isso eu acho que ela deveria ter agido diferente com Jesse. O que esses homens poderosos precisam entender é que esconder suas merdas e seu passado de suas "garotas" não é o caminho certo. Quanto mais eles querem protegê-las sem uma justificativa plausível, mais elas se rebelam e acabam fazendo exatamente o que eles não querem que elas façam.

Por fim, as coisas terminam bem e românticas no segundo livro, mas vamos para a aventura que será o terceiro e último livro da trilogia. Espero que a autora não me decepcione e revele todas as merdas que eu estou curiosa para saber. Já sabemos aqui porque Jesse não quer que Ava beba, já sabemos qual a rusga de Jesse com Van Der Haus, já sabemos porque Jesse quer que Ava use sempre renda (e nunca couro ou algo diferente), já sabemos também qual o verdadeiro problema dele com bebidas e sabemos também que ele está determinado a confirmar quem aprontou com Ava no Baroque.

OBS: Assim como no primeiro livro, encontrei várias palavrinhas escritas erradas no livro e que isso me incomoda bastante. Aliás, incomoda demais! Só eu reclamo disso? Gostaria que as editoras, ao revisarem os livros, fossem mais atentos!

28 de fevereiro de 2017

TRILOGIA - CRONICAS LUNARES - SCARLET - #02 - MARISSA MEYER


TRILOGIA - CRONICAS LUNARES - SCARLET - LIVRO 02 - MARISSA MEYER

Depois de Cinder, estreia de sucesso de Marissa Meyer e primeiro volume da série As Crônicas Lunares, que chegou ao concorrido ranking dos mais vendidos do The New York Times, a autora está de volta com mais um conto de fadas futurista. Scarlet, segundo livro da saga, é inspirado em Chapeuzinho Vermelho e mostra o encontro da heroína ciborgue que dá nome ao romance anterior com uma jovem ruiva que está em busca da avó desaparecida. Em uma trama recheada de ação e aventura, com um toque de sensualidade e ficção científica, Marissa Meyer prende a atenção dos leitores e os deixa ansiosos pelos próximos volumes da série.






NOTA SOBRE O LIVRO by Glauci Guedes


Leitura Concluída: Scarlet - Marissa Meyer

Esperava mais desse livro, pois o primeiro foi fantástico. 

Não gostei muito por que a autora continuou a história da Cinder em paralelo com a da Scarlet e as duasse encontraram só no meio do livro. A protagonista desse livro é irritantemente irritada, e o casal não me cativou muito não. 

Destaco aqui um personagem secundário, o capitão Thorne, esse é bem engraçado. 

Classidiquei no skoob com três estrelas - ☆☆☆