6 de maio de 2018

SÉRIE - IRMANDADE DA ADAGA NEGRA - AMANTE CONSAGRADO - #06 - J. R. WARD

SÉRIE - IRMANDADE DA ADAGA NEGRA - AMANTE CONSAGRADO - LIVRO 06 - J. R. WARD

Nas sombras da noite de Caldwell, Nova York, desenvolve-se uma furiosa guerra entre os vampiros e os seus assassinos. Há uma Irmandade secreta, sem igual, formada por seis guerreiros vampiros, defensores de sua raça. E agora, um Irmão obediente deve escolher entre duas vidas...

Ferozmente leal à Irmandade da Adaga Negra, Phury se sacrificou pelo bem da raça, convertendo-se no macho responsável por manter a linhagem da Irmandade. Como o Primaz das Escolhidas, ele será o pai dos filhos e das filhas que assegurarão que sobrevivam as tradições da raça, e, que haja guerreiros para lutar contra os redutores. 

Como sua companheira, a Escolhida Cormia quer ganhar não só o corpo, mas também o coração de Phury para si... Ela vê o guerreiro emocionalmente deteriorado atrás de toda sua nobre responsabilidade. Mas enquanto a guerra com a Sociedade Redutora se torna mais severa, uma grande tragédia abate a mansão da Irmandade e Phury deve decidir entre o dever e o amor.


NOTA SOBRE O LIVRO:

Amante Consagrado é o sexto livro da saga da Irmandade da Adaga Negra e os personagens principais são Phury (o gêmeo de Zsadist) e Cormia, a Escolhida do reino da Virgem Escriba. 

Nos livros anteriores temos a Virgem Escriba de um lado e Ômega do outro. Pois bem, ambos são irmãos (que se detestam, claro), o que faz todo sentido já que o plano de Ômega é destruir os Irmãos especificamente, mas meu choque maior foi a revelação de que o Ômega teve um filho com uma vampira que morreu no parto.

A Virgem Escriba também teve seus filhos: Vishious, que foi revelado no livro anterior e Payne, a irmã gêmea de Vishious, que foi revelada neste livro como uma fêmea de temperamento forte.

Não sei se devido ao enfado que senti com Phury acabei deixando passar alguma informação, mas a revelação de que o filho de Ômega não era quem eu pensava, foi um alívio e também justificável, já que o desgraçado é realmente uma pessoa péssima e insuportável. 

Como dito, Phury é o protagonista nesta história, mas posso dizer que ele me decepcionou muito e profundamente, quase a ponto de me fazer desistir de ler este livro e dar um tempo na série, pois a sua confusão pessoal é irritante. 

Ele é fraco, confuso e indeciso. Esse negócio de ser um celibatário não teve uma justificativa convincente (para mim), ainda mais depois de tanto tempo. O vício nas drogas também é decepcionante. A coragem que ele teve ao salvar seu irmão e ter se colocado a disposição da Virgem Escriba para ser o Primaz, a princípio, me passaram a impressão de que ele era um homem mais maduro. Quero acreditar que a autora tenha usado Phury com esta personalidade mais especificamente para chamar a atenção sobre os diversos motivos que levam as pessoas a se envolverem com as drogas. 

John Mattew também tem me tirou um pouco do sério com algumas frescuras. Não é só insegurança da transição. É o maldito trauma por ter sido estuprado quando mais jovem, antes de saber que era um vampiro. Ele não quer falar sobre o assunto, não quer se tratar e enfrentar o problema, não se abre com ninguém e quer que tudo funcione? Concordo que o tema também é forte, mas para se curar a pessoa precisa querer também se livrar do que a perturba. Para defender John, Quinn acabou esfaqueando o maldito Lash e acabou se complicando, porém, a desgraça toda não pára por aí, pois os Redutores estão com a corda toda agora. Um ataque terrível acabou matando diversos vampiros. 

Bella está enfrentando uma gravides de risco, Zsadist está por um fio e Cormia se sentindo rejeitada. Phury foi afastado de suas funções na Irmandade depois de tanta merda que ele fez. Wrath descobriu a causa do ataque de Quinn e acabou resolvendo momentaneamente a situação de Quinn, mas isso desencadeou um grande grande poder aos malditos redutores.

De modo geral minha nota para este livro é de três estrelas...

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!