29 de janeiro de 2015

LIVRO - MALUCA POR VOCÊ - RACHEL GIBSON


MALUCA POR VOCÊ - RACHEL GIBSON

Um charmoso policial acaba de chegar à cidadezinha de Lovett, no Texas. Seu nome é Tucker Matthews. Tudo o que ele quer é um pouco de sossego e um lar pra chamar de seu. Seu e de Pinky, sua gatinha de estimação, deixada com ele por uma ex-namorada louca. Mas parece que Tucker tem sorte (ou azar) para mulheres doidas. Sua nova vizinha é ninguém menos que Lily Brooks, ou, a Maluca Lily Darlington, famosa na cidade pelos excessos do passado, como quando entrou com o carro dentro do escritório do ex-marido cretino. Fofocas à parte, Tucker não imaginou que no lugar da suposta barraqueira fosse conhecer uma baita mulher em seus trinta e oito anos, linda, inteligente, sexy e engraçada, que irá virar sua cabeça do avesso. Maluca por você é um romance apimentando e divertidíssimo! Você não vai conseguir parar de ler!


NOTA SOBRE O LIVRO

Este é o segundo livro da autora Rachel Gibson que eu leio, mas é a primeira vez que vou fazer uma nota sobre um livro dela. O primeiro livro que li, foi em 2013, chama-se "loucamente sua" e que pretendo ler novamente, então, poderei fazer uma nota para vocês... 

Toda vez que termino de ler um livro, fico em uma crise terrível para conseguir definir qual será o próximo em uma lista de quase 300 livros na fila de espera, então, optei por este, pois precisava de uma leitura descontraída para aliviar o efeito da ressaca literária, que é sempre devastador. A bem da verdade é que esta é uma história legal, rápida e gostosa de ler... tão gostosa que você consegue devorar em poucas horas...

Os personagens principais são: Tucker Mathews (30 anos) e Lily Darlington (38 anos). Tucker veio parar em Lovett, no Texas após sofrer uma decepção amorosa. A ex-namorada Tiffany abandonou o policial e sumiu no mundo levando a guitarra de estimação do rapaz. Para "compensá-lo", deixou a gata Pink sob seus cuidados. Tucker nunca se imaginou tendo um gato, afinal, em sua concepção apenas mulheres velhas ou feias e os gays tinham gatos de estimação. Ele não era nenhuma das três opções, mas não teve coragem de abandonar a pobre gata. Lily é aquele tipo de mulher meio estabanada, mas que é muito batalhadora. Teve um casamento fracassado com um homem que vivia lhe traindo e ainda usava a velha frase clichê de que "você está louca" cada vez que ela cismava com as traições. No final das contas, Ronnie, o infeliz abandonou a mulher com o único filho do casal e subtende-se que o sujeito também pouco se importa com o filho, que está com 10 anos. Lily por ser uma batalhadora, hoje é dona de um salão de beleza muito bem movimentado, cria o filho com um pouco da ajuda de sua mãe.

Naquela noite em específico, Lily estava voltando para casa quando foi abordada por um carro policial. De início pensou que poderia ser o policial Marty ou o policial Neal, mas não era nenhum dos dois e sim, o policial Mathews. Para o espanto de Lily, ele sabia muito mais sobre ela do que ela poderia supor, quando nem ao menos sabia quem era aquele homem.


"Estou no Condado de Potter há algumas semanas."

E devido a esta informação Lily soube que o homem não era do local. Sem contar que Lily não parecia ser uma boa motorista.


"- Não foi por isso que eu a parei. - Ele a pontou a lanterna para os documentos. - A senhora passou por cima da divisão das pistas várias vezes."

Aliás, acho que é uma marca registrada da autora criar essas personagens mais despachadas, além de serem mulheres mais maduras e mais cotidianas. Notei que tanto neste livro quanto nos demais, os personagens de Rachel costumam ser mais "normais". As mulheres normalmente são meio maluquetes, mas são mulheres esforçadas e que corre atrás dos seus objetivos e os homens, são trabalhadores, possuem certa estabilidade, mas não são CEO's poderosos e endinheirados que chegam a estar totalmente fora da nossa realidade. Acho que essa é uma boa dosagem para o leitor. Ter mais opções de personagens que condizem com a realidade, ou seja, Lily é dona de um salão de um spa de beleza e Tucker é um policial.

Pippen é o filho de Lily com o idiota do Ronnie. Bem, acho que vale a dica também para entendermos a interpretar os sinais que a vida nos dá. Quando o cara é um babaca, ele sempre será um babaca com você e provavelmente com o filho que tiver com você, então, escolher sem pressa é sempre a melhor solução, pois veja o caso do garoto. Ele se esforça em querer ser sempre o melhor em tudo o que faz na esperança de que vá agradar ao pai. Pippen é um péssimo jogador de basquete, mas mesmo assim não desiste de treinar, pois ele deseja ser o melhor, deseja que chegue o dia em que ele possa sair do banco de reservas e jogar bravamente sendo assistido pelo pai. Para desespero de Tucker, na manhã seguinte, acordou com as boladas de Pippen enquanto ele tentava dormir após cumprir 12 hora de trabalho noturno. Sim, Tucker, o policial havia comprado a casa ao lado da casa de Lily e embora ele já soubesse na noite anterior quem era ela, ela não sabia que aquele policial era também seu novo vizinho. Tucker tentava persuadir Pippen a parar de jogar durante a manhã para que pudesse dormir, mas ao interagir com o garoto, acabou sendo surpreendido com a presença de Lily, que não havia se dado conta de que o vizinho era o mesmo policial que havia lhe parado na rodovia na noite anterior, mas por sua vez, Tucker já havia reparado na beleza de Lily.

Tucker foi abandonado pela mãe e criado pela avó até os 5 anos de idade. Nunca soube quem era seu pai (e duvida até que a mãe soubesse) e a mãe morreu quando ele tinha 3 anos de idade. Fora entregue ao Estado de Michigan e percorreu o sistema de famílias provisórias, até ser entregue a Elias Peirce, um veterano aposentado do Vietnã. Segundo Tucker, eles não podem ter uma relação considerada como a de um pai e um filho, no entanto, foi este homem quem mudou sua vida e que nunca o tratou como um rejeitado. Foi o carinho e a proteção que Lily dispensou ao filho naquela manhã que tocou o coração de Tucker. Fica explicito na atitude de Tucker que cumprir a promessa de ensinar Pippen a jogar basquete está ligado tanto a sua própria infância quanto ao interesse que Lily lhe despertou sem contar, que agora, a própria Lily se vê tendo pensamentos pecaminosos com o rapaz. Agora, pelamordedeus, o Tucker não dorme no ponto e o homem é direto tanto nas indiretas, nas cantadas bem feitas quanto na pegada.


"-Eu tentei fazer a coisa certa hoje, mas da próxima vez que eu puser as mãos em você, nós não vamos parar."

#Semfôlego!
Lily vai precisar aprender a lidar com um homem de verdade, com um homem que sabe o que quer e esquecer que os projetos de homem que passaram pela sua vida não passam de rascunhos mal feitos... Lily só vai precisar lidar com dois pequenos detalhes: 1) O fato de ser mais velha que ele 8 anos; 2) O fato de ter um filho pequeno (10 anos). Para Tucker nada disso é impecilio para ficarem juntos e ele deixa claro que ele não quer apenas sexo. Ele quer algo mais que isso. Ele quer uma relação verdadeira...

Obs: Não tem como não rir da cara da Lily quando ele diz que quer conhecer cada parte dela e ela interpreta com conotação sexual. Imagino a cara de passada dela e me divirto.

E apesar de ter os conflitos infernos de Lily, a história flui de forma suave e tranquila. É um tipo de leitura suave e cativante. É uma história para realmente ser lida em poucas horas e te satisfazer. Adicione o livro em sua lista do skoob e caso queira adquirir o livro no formato impresso, recomendo a Saraiva, Submarino ou Americanas.


0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!