24 de dezembro de 2014

SÉRIE - AMOR IMORTAL - OBSESSÃO - #01 - HALICE FRS

SÉRIE AMOR IMORTAL - OBSESSÃO - LIVRO 01 - HALICE FRS

Qual o sentido em ser eterno e poderoso se sua existência for vazia? Ethan McCain resolveu a questão retomando sua antiga profissão, como advogado criminalista. Convivendo entre os humanos, servindo-os e servindo-se deles, conseguia alguma diversão. Boêmio, mimado e egoísta, o vampiro segue livre em sua farsa pelas ruas de Nova York. Ethan acreditava ter tudo, merecido ou desejado, até encontrar Danielle Hall no Central Park, uma jovem jornalista, completamente sozinha e desprotegida. Atingido por seu excitante odor, decide conquistá-la, seduzi-la e descartá-la. Acreditava ser fácil. O que o vampiro não previa era que aquela humana frágil carregava o símbolo de sua derrota. E que ele corria, obsessivamente, atrás de sua perdição.


NOTA SOBRE O LIVRO: 

A história é narrada em terceira pessoa. Particularmente gosto muito desse tipo de narrativa onde o autor consegue passar para o leitor o que se passa na mente de cada um de seus personagens. Sem contar que a Halice tem todo um diferencial na forma de escrever. Digamos que ela não seja muito "cotidiana" na hora de escrever e que o emprego de palavras mais requintadas transformam o texto em algo bem clássico. Esta é a segunda vez que eu estou lendo esta série. Sim, tive conhecimento desta história poucos dias antes do lançamento do segundo livro e resolvi ler novamente, pois o quarto e último livro da série está para ser lançado e eu quero degustar toda a história do inicio ao fim. A postagem sobre esta história será realmente bem longa, mas vale a pena!

Foi por causa desta história que me interessei por ler algo relacionado a vampiros. Minha amiga Viviane Roncon me recomendou esse livro quando ele entrou na promoção "grátis" e eu acabei baixando por curiosidade no site da Amazon. Poucos dias depois minha outra amiga Vivi P Pena Ferreira comentou que havia lido este livro, adorado e que o segundo já estava para lançar. Fiquei super curiosa com a sinopse e decidi que quebraria o tabu sobre vampiros lendo essa história.

Realmente valeu a pena (tanto que estou relendo pela segunda vez). É uma história que prende sua atenção e que desperta a curiosidade sobre o que virá a seguir. Tenho visto algumas pessoas comentarem sobre "erros" de digitação, mas quero ressaltar que é totalmente normal e isso não é motivo para denegrir o trabalho de ninguém, até porque duvido muito que quem se aventure em escrever nunca tenha cometido nenhum erro. Seja na aventura de escrever uma resenha, uma nota, um conto ou um livro. Tenho notado que tem mais pessoas com coragem pra falar mal do que para elogiar e por isso incentivo aos leitores a falarem mais quando gostou publicamente sim! Aqui só tenho elogios sim tanto para  o enredo quanto para a autora. É muito bom ver que a cada dia surgem novos e excelentes talentos como desta moça. Tenho certeza que se qualquer pessoa que achar um erro em um livro chamar o autor inbox e comentar com ele, ele certamente lhe agradecerá, mas não vamos cair na malhação porque isso sim eu acho de extremo mau gosto. Já li muitos livros e sempre achei erros e nem por isso sai crucificando o autor. Em defesa da Halice sim porque eu acompanho de perto a evolução do seu trabalho e a dedicação que ela tem para com seus leitores, a preocupação em dar o melhor de si.

Tudo começou em 1842 quando Ethan McCain acompanhava seu pai, Henry McCain em uma expedição no Brasil. Mais especificamente na Amazonia. Ambos foram seduzidos e capturados por Sabina e Bete, que eram duas vampiras, além de Raca, a terceira vampira. Henry fora morto por Bete enquanto Ethan havia sido transformado por Sabina, mas o que elas não contavam é que a transformação se virasse contra elas e que Ethan as matasse. 

Ethan possuia uma marca e dizia a lenda que apenas alguém com a mesma marca que ele seria capaz de destruí-lo. Assim surgiu a criatura... Leia todas as explicações da história com muita atenção, pois estas e outras situações justificarão essa personalidade ferrenha de Ethan McCain. Ethan teve que fazer uma escolha em sua "vida". Após perder o pai, só restou-lhe o único amigo, Thomas Miller, a quem teve que transformar em um imortal quando este sofreu um acidente de cavalo que o deixaria paralítico. Imagino que tenha sido o primeiro e único ato de bondade partido de Ethan. Thomas sempre foi o mais centrado e o mais "humano" dos dois. Em uma das inúmeras viagens da dupla curtindo apenas os prazeres mundanos, conheceram Joelle Lefreve (conhecida carinhosamente por Joly) que chorava copiosamente pelo derrame que seu pai havia sofrido. Thomas imediatamente se encantou pela beleza da moça e Ethan compreendeu que o amigo havia se apaixonado, mantendo-se afastado. Por sua vez, a moça aceitou ser transformada por Thomas. Formou-se ai uma amizade centenária... Na atualidade, todos "trabalhavam" no escritório McCain & Associated, o melhor escritório de advocacia de Nova York, claro! O quadro de vampiros era formado por: Ethan, Thomas e Joly, Andrew Kelly e sua companheira Samantha e Seager Holmes. 

Danielle Hall, era uma jornalista que vivia em um pequeno apartamento com seu gato de nome Black e namorava com Paul Collins. Dana (como era conhecida) amava Paul, mas para firmar um relacionamento mais sério pretendia primeiro se estabelecer em sua profissão e neste emprego, já que encontrava-se em experiência como jornalista no Daily News. Paul era advogado (coincidentemente assim como Ethan) e trabalhava no segundo melhor escritório de advocacia da cidade de Nova York. O jovem era apaixonado por Dana e insistia para que finalmente vivessem juntos, porém, não era bem isso que Dana queria. Quer dizer, não naquele momento. Embora soubesse que amava Paul, Dana ainda não se sentia pronta para aquele passo e além do mais, sua preocupação inicial era a efetivação no trabalho.

Naquela noite em que Ethan havia livrado o pior traficante de drogas e armas de um julgamento foi capturado pelo cheiro de uma humana que deixou-o completamente desnorteado. Por mais que tentasse negar, Dana havia mexido demais com seus instintos. Aquele cheiro de fêmea que ele nunca havia sentido antes e que ficou fortemente registrado em sua memória olfativa. Em seu pensamento, saciaria suas vontades e depois a descartaria, porém, Dana escapou dele apenas por instinto e medo, mesmo não o tendo visto. Para agravar sua ira, Ethan havia presenciado a cena em que Dana entregava-se em um abraço com um homem que ele nem ao menos sabia quem era e agora, aquela mulher não lhe saia do pensamento, mas muito pior era não saber onde encontrá-la. Ethan precisava encontrar Dana e possuir-lhe com todo seu desejo até que não sobrasse nada ao rábula (como Ethan se refere a Paul) que a havia levado embora naquela noite. (Rábula, no Brasil, era o advogado que, não possuindo formação acadêmica em Direito (bacharelado), obtinha a autorização da entidade de classe (primeiro do Instituto dos Advogados; a partir da década de 30 da OAB) para exercer, em primeira instância, a postulação em juízo.)

Desde que vira a humana, Ethan não teve mais sossego. Por mais que não mencionasse o fato ou não assumisse para si próprio, Ethan estava convalescendo de uma tormenta sem fim. Nem mesmo a chuva facilitava, pois ele sabia que mesmo que saísse a sua procura, não seria capaz de localizá-la pelo cheiro. Isso só piorou seu ânimo e seu humor, que nunca fora dos melhores, afinal, Ethan não era simpático, não era cordial e muito menos amistoso. Ethan era um vampiro intenso, mau-humorado por natureza e muito arrogante. Ele jamais daria o braço a torcer que Dana estava transformando seus dias muito piores pelo simples fato de não encontrá-la. Podemos até afirmar que Ethan estivesse apaixonado pela humana a primeira vista, ao primeiro cheiro, mas ainda não havia se dado conta deste fato. Sua prepotência jamais permitiria tal afirmação. Logo ele que nunca em seus inúmeros anos de existência havia sofrido algo parecido, estava ali, completamente irritado e tampouco conseguindo se concentrar no que fazia melhor, que era representar o show da profissão. Irritação, desassossego, aflição, ira, nervosismo... tudo isso remetia o estado emocional do Vampiro. Extremamente irritado, Ethan decidiu sair em outra noite qualquer em busca de distração e já no auge de sua irritação e frustração, ele avistou a "bruxa" que o prendeu naquele estado enervado, mas sua satisfação não se completa, pois a poucos passos de abordá-la ele nota o seu rival tomando posse dos lábios e do corpo da humana que mais deseja e isso só faz seu ódio aumentar ainda mais. 

Dana recebe um duro golpe do destino, mas não tem muitos amigos com quem contar, aliás, das poucas pessoas do seu convívio, a mais próxima, depois de Paul, é Melissa, que era sua companheira de profissão do Daily News. Quando esta lhe confessa que o motivo de sua tristeza visível se dá pelo "bolo" que recebeu do namorado na noite anterior, Dana imediatamente sente que sua dor diante da amiga chega a ser nada. Dana tem esse sentimento de companheirismo e consolo pela amiga, mas a amiga logo se vai e Dana trata de voltar aos seus afazeres. Dana sentia-se estranhamente observada desde a noite no Central Park. Imaginava-se louca ou talvez tocada pelos últimos acontecimentos estranhos que estavam surgindo. Por mais que olhasse e observasse toda sua volta, nada era visto.



SPOILER DE DEGUSTAÇÃO:


"Protegeu os olhos sob óculos escuros e deixou seu carro com o intuito de abordá-la, porém, inexplicavelmente, no segundo em que Danielle se voltou e avistou, iludiu-a para que não o visse. Ela ainda olhou em sua direção por um segundo antes de seguir seu caminho até a lavanderia. O mesmo se deu na volta. Mais uma vez Danielle o procurou, mas a ordem ainda valia. Ethan não entendia o que impedia de apresentar-se, somente sentia crescer a vontade de ser diferente. Não a queria "encantada" por seu carisma natural, sim, verdadeiramente interessada. Havia algo naquela percepção que o envaidecia tanto quanto intrigava, atraindo-o mais. Não havia pressa agora que sabia onde encontrá-la; ela era sua. Com o entendimento Ethan alargou o sorriso."



Apesar de todos os seus longos 197 anos de existência, Ethan nunca havia se apaixonado, então, para ele, tudo era muito novo e ao mesmo tempo enervante, pois ele não sabia como agir diante de tudo que estava acontecendo com ele. A única coisa que ele sabia era que toda aquela agitação que ele sentia se dava por conta de Dana, mas seu orgulho e prepotência não deixavam ele compreender que aquilo tudo que sentia era o amor tomando conta da sua existência. Confuso, irritado e ansioso: era assim que ele se sentia e saber que não era mais o mesmo o deixava extremamente frustrado. Bem, aí é que está todo o charme do vampiro, afinal, ele é oposto do que consideramos o herói bonzinho da história. Ele tem um personalidade explosiva, intensa, dominadora, controladora e não é nada dócil ou ponderado. Ethan simplesmente invade todos os espaços e não se faz de rogado. Como diria Danielle Hall, "um furacão chamado Ethan Smith McCain".

Acontece que por trás dos bastidores, havia um desconhecido destroçando os corpos deixados por Ethan após este alimentar-se. Mortes inexplicáveis de pessoas que tenham passado "pelas mãos" do Vampirão. Não é de se estranhar que seja algum inimigo de Ethan, mas quem poderia estar provocando tais constrangimentos e pior, por qual motivo? Isso tudo apenas enfurecia ainda mais nosso anti-herói, afinal de contas, ele estava ciente de que a partir de então precisaria proteger ainda mais sua humana, afinal, ele não sabia quem estava atacando e se tal criatura teria conhecimento de seus sentimentos por Danielle.

Dana não se considerava uma mulher bonita ao ponto de Ethan McCain se interessar por ela, mas em seu subconsciente, ela já estava completamente dividida entre Paul e Ethan. O vampiro não precisou usar de artifícios para provocar tais sensações na garota, no entanto, Ethan também não tinha consciência do que se passava em sua mente. Ethan não entendia os sinais de Dana, mesmo que involuntários. O cerco estava se fechando e eles estavam sempre se esbarrando de alguma forma. Neste ponto, outro fator importante em Dana pode colocar em risco tanto a sua vida quanto a sua provável e possível futura relação com o vampiro e quando Joly descobre tal fato, ela se amedronta, pois sabe que o próprio Ethan pode ser um risco para a humana. Não é para menos que Joly exige que Ethan empenhe sua palavra de que protegerá e nunca machucará Danielle.


SPOILER DE DEGUSTAÇÃO

"Saindo para a calçada, apesar da inquietação que sentia, o vampiro conseguiu achar graça em seu pensamento. Dias atrás acreditou que a usaria como todas as outras, no entanto, não somente descobriu sua paixão como queria a "bruxa" como sua companheira eterna."

Ethan já não escondia nem de si e nem dos amigos seu amor por Danielle. Agora seria apenas uma questão de tempo, de conquista, até porque, ele não sabia que na verdade Dana já havia sido conquistada por ele. O único problema é que Dana havia sido surpreendida por uma atitude inesperada de Paul e por este motivo também se encontrava muito confusa. Ela também precisará passar pelo período do reconhecimento e da aceitação, mas como? Dana não sabe nada sobre a imortalidade do lindo homem de olhos verdes que povoa sua mente, invade seus sonhos e a deixa sem ar. Como lidar com Paul inclusive? Tudo estava muito confuso na sua mente naquela oportunidade. O que Ethan teria que fazer?


ONDE COMPRAR O LIVRO:

Clique aqui e compre seu ebook na Amazon.

Se você é fã dos livros no formato impresso, cliquei aqui e compre diretamente da Editora Ler Editorial ou encomende autografado aqui com a autora Halice FRS.

Eu já tenho o meu exemplar autorgrafado, com marcador e ecobag... #amomtotdisso


Curta a Fan Page Oficial aqui


1 comentários:

Halice F.R.S. disse...

Obrigada pela nota linda, Fernanda! Adorei. Em breve vem o 4º. Já nos ajustes finais.

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!