21 de junho de 2015

LIVRO - A CULPA É DAS ESTRELAS - JOHN GREEN

A CULPA É DAS ESTRELAS - JOHN GREEN


Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. 

Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.


NOTA SOBRE O LIVRO:

O livro que inspirou um filme... Esta foi a primeira vez que li algo do John Green, embora eu tenha outros livros dele na fila para próximas leituras, mas na minha opinião, John Green e Nicholas Sparks fazem parte da lista de livros para ler quando eu estiver muito preparada psicologicamente para lidar com personagens psicologicamente emocionantes. Daqueles que mexem com seu lado humano e que te faz se colocar no lugar da pessoa e sofrer o sofrimento dela, além de criar toda uma expectativa sobre um final feliz... Final feliz? Bom, não tenho porque bancar a desentendida e deduzir que ninguém saiba, hoje, o final do livro, porque todo mundo já sabe e eu confesso que isso foi um dos motivos pelos quais coloquei o autor nessa lista de preparo emocional e psicológico. 

Hazel Grace era uma garota de 16 anos, paciente terminal de um tipo de câncer e que já tinha o seu final escrito juntamente com o diagnóstico do seu tumor. Sua mãe tentava de tudo para "animá-la" e por isso ela passou a fazer parte de um grupo de apoio, por insistência da mãe, claro, e onde ela conheceu Augustus Waters (Gus), um garoto bonito que teve a perna amputada também por culpa de um tipo de câncer. Juntos, eles acabam preenchendo o vazio que o câncer instalou em suas vidas.

Augustus Waters se tornou o ponto chave na vida de Hazel, mas foi a sua personalidade, a sua característica carismática que faz com quem lê o livro se emocione. Ele era um garoto que se divertia como qualquer outro da sua idade, mas também tinha muita consciência do valor da vida e dos sentimentos das pessoas, tanto que em nenhum momento ele transpareceu para Hazel que era era uma garota fadada ao fim. Sabemos qual o fim de cada um de nós, mas para quem sofre de qualquer doença terminal essa certeza se torna dolorida, sofrida, desesperançosa. Não quero entrar no âmbito da doença e no que algumas pessoas passaram ou ainda passam porque senão eu me estenderia demais, mas a realidade é que cada um de nós certamente conhece alguém que já passou por isso. Augustus trouxe um novo sentido para a vida de Hazel e ela, com certeza, também teve sua dose de participação na vida de Gus.

Hazel tinha um livro de cabeceira e já havia lido aquele livro inúmeras vezes, mas não se conformava que a história simplesmente acabasse assim, por isso, ao ler o mesmo livro e chegar a mesma conclusão, Augustos move céus e terras para encontrar o autor do livro em busca de saber se ele fará a continuação da história. No momento em que li achei que essas passagens fossem desnecessárias e que isso havia tornado o livro cansativo, mas agora, refletindo sobre esse ponto, acho que o autor quis passar a mensagem de que aquele livro era como a vida, que sem mais nem menos acaba sendo interrompido com a morte e a vida simplesmente fica sem uma continuação.

A convivência de Hazel e Augustos faz surgir um sentimento muito mais forte entre eles e juntos descobrem o primeiro amor, o primeiro beijo e o sexo. O livro não é baseado no sexo, não é um livro erótico. É um livro de amor e superação, é um livro de esperanças e compreensão. Cada segundo de vida deve ser vivido da forma como melhor lhe aprouver, por isso, não importa o que você tem ou como as pessoas te enxergam. O que importa é como você se vê e o que te faz bem! Augustus e Hazel descobriram juntos uma forma de aproveitar o tempo que lhes restava e por isso acredito que o livro tenha sido tão comovente e levado tantas pessoas às lagrimas. Eu acabei não chorando, mas fiquei com um sentimento de vazio por algum tempo e quando vejo algum comentário sobre o livro sempre acabo refletindo na mensagem que ele me passou. 

O livro é vendido com a capa original e com a capa do filme, então, clicando sobre o nome do site de venda, você será direcionado para o link da capa escolhida...


ONDE COMPRAR O LIVRO:










0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!