17 de junho de 2019

SÉRIE - CROSSFIRE - TODA SUA - #01 - SYLVIA DAY

SÉRIE CROSSFIRE - TODA SUA - LIVRO 01 - SYLVIA DAY

Eva Tramell tem 24 anos e acaba de conseguir um emprego em uma das maiores agências de publicidade dos Estados Unidos. Tudo parece correr de acordo com o plano, até que ela conhece o jovem bilionário Gideon Cross, o homem mais sexy que ela - e provavelmente qualquer outra pessoa - já viu. Gideon imediatamente se interessa por Eva, que faz tudo o que pode para resistir à tentação. Mas ele é lindo, forte, rico, bem-sucedido, poderoso e sempre consegue o que quer - Eva acaba se entregando. Uma relação intensa começa. O sexo é considerado por eles como incrível. Capaz de levar os dois a extremos a que jamais tinham chegado. E, então, eles se apaixonam - o que pode ser tanto a chave para um futuro feliz quanto a faísca que trará de volta os traumas do passado.


NOTA SOBRE O LIVRO:

Quando postei essa resenha pela primeira vez foi em 19/06/2015. Quatro anos depois senti uma imensa vontade de reler a história.

Foi por causa desta série que eu conheci o meu amor platônico Henry Cavill. Quando li o primeiro e o segundo livro, ainda em 2013, fiquei simplesmente apaixonada pelo Gideon Cross e pela história como um todo, mas agora, posso dizer categoricamente que ele continua produzindo o mesmo efeito sobre meus hormônios literários.

Eva Tramell tinha vinte e quatro anos de idade quando se mudou para Manhattan, começando uma nova vida em uma nova casa no Edifício Upper West Side juntamente com seu amigo Cary, um rapaz de aparência incrível, porém bissexual e cheio de traumas assim como Eva. Revendo toda história, cheguei a conclusão que o problema de Cary não era ser bissexual e sim, que ele mesmo não se aceitava como ele era, por isso estava sempre entrando em relacionamentos furados. Um dia antes do início em seu novo emprego, Eva resolveu sair para cronometrar o tempo que gastaria de casa até o escritório. Era lá, no Edifício Crossfire que tudo começaria.

A agência de publicidade Waters Fidel & Leaman, gerenciada por Mark Garrity estava instalada no Edifício Crossfire. Richard Stanton (o marido número três de mãe de Eva) era um homem influente, riquíssimo e um dos magnatas do setor financeiro, mas a garota queria apenas crescer com seus próprios méritos. 


"O terno feito sob medida já era suficiente para deixar meu sinais de alerta ligados, mas era o corpo esguio por baixo dele que o tornava sensacional. Ainda assim, apesar de toda aquela demonstração impressionante de masculinidade, foi só quando vi seu rosto que percebi o que havia de fato diante de mim. Uau. Simplesmente... Uau."

Quando chegou ao Crossfire Eva acabou topando com o enigmático Gideon Cross e não fazia ideia de quem ele poderia ser. Ela não era uma garota ingênua, pura, virgem e acanhada. Ao contrário, Eva ficou completamente fascinada com a visão do homem enigmático, misterioso e muito sexy.


"Olhei para seu terno civilizado, requintado e absurdamente caro e só consegui pensar em uma trepada violenta, de rasgar os lençóis."

Por não saber de quem se tratava, o apelido de "Moreno Perigoso" caiu como uma luva para o homem mais lindo do planeta. 

A amizade entre Eva e Cary é muito forte e um está sempre limpando as feridas do outro, mas o que se sabe sobre Cary é que ele passou a infância entre temporadas com a mãe viciada em drogas e lares adotivos. A adolescência em reformatórios juvenis e centros de reabilitação.


Eva começou com força total, mas o seu passado e os mistérios de uma infância perturbada não permitiam que ela fosse 100% segura de si. Apesar de ser filha de uma das socialites mais badaladas de Manhathan, Eva era o oposto de sua mãe e não se importava com requintes de luxo e riqueza. Para ela bastava viver uma vida confortável e segura ao lado do amigo inseparável, Cary. Quando colocou os olhos naquele moreno, a energia entre eles foi completamente palpável e notável. A diferença é que ele demonstrava uma segurança e um controle absurdo (que não sentia) e esse foi o ponto chave dessa união.


"Porque eu quero comer você, Eva. Então, preciso saber se existe alguém atrapalhando meus planos."

Gideon foi direto ao ponto. Ele não perdeu tempo, pois até então estava apenas exercendo sua magnitude. Ele só não contava que seu desejo o pegaria de jeito ao ponto de romper todas as suas regras.



"Vou dizer tudo o que quero que você faça para me dar prazer, Eva, e você vai fazer tudinho... se me obedecer, vamos fazer sexo explosivo, selvagem, sem restrições. Você sabe disso, não é? Já está sentindo como as coisas vão ser entre nós."

Esta é uma série altamente erótica e com doses cavalares de sexo, palavrões, momentos insanos e de puro prazer. Se não é o tipo de leitura que você gosta ou se você simplesmente acha um absurdo um conteúdo tão "pornográfico" (como alguns dizem), então não vale a pena ler. Para quem achou realmente que 50 Tons de Cinza era quente, realmente precisa ler esta série para saber o que é pegar fogo. 

Quando a autora narra a forma impecável em que Gideon estava vestido na noite da festa foi impossível não associá-lo a esta imagem perfeita do homem mais lindo da minha vida. A relação de Gideon com sua família é bem difícil. O meio irmão tenta a todo custo destruir Gideon e a mãe se faz de coitada o tempo todo. 

Eva tinha uma grande tendência à fuga (o que é irritante). Sim! Literalmente fugir! Com seus problemas de autopreservação e medo do passado, dos traumas que a seguem desde muito tempo, Eva tinha a grande tendência de fugir! Nesse ponto Gideon era um campeão de corrida, pois ele estava sempre correndo atrás dela. Ela sabia o quanto era bonita e desejada, mas Eva não sabia lidar com isso, talvez pelas experiências do passado, enquanto que Gideon estava viciado em comportamentos programados. Ele nunca tinha tido um relacionamento como estava tendo com Eva, então, a tendência era acabar estragando as coisas inconscientemente. Duas pessoas problemáticas juntas só poderia dar nisso mesmo, muito embora esse fosse apenas o começo!

Um dos problemas na vida de Gideon eram os constantes pesadelos. Isso acabava com o moreno, mas na primeira noite que passaram juntos, Eva conseguiu lidar bem com a situação e de certa forma não se assustou. Eles estavam relacionados com o passado obscuro de Gideon, mas Eva ainda não sabia disso. Naquele momento ela estava preocupada com a exposição que ela estava tendo na mídia por conta de uma foto em que os dois haviam sido "flagrados" juntos. Eva tentava se esconder ao máximo possível, pois não queria jamais estar em evidência por conta do seu passado. Incrível como estes dois sofriam por motivos iguais: "medo do passado". Ela temia que tal exposição causasse constrangimento a ele.

"Na semana passada você reclamava dele porque só queria sexo. Esta semana ele anuncia pro mundo todo que está comprometido, que vocês dois têm uma relação amorosa, e você continua insatisfeita. Estou começando a sentir pena do sujeito. Ele não consegue dar uma dentro."

Essa foi a frase mais sensata dita por Cary.

Tudo bem que se Eva fosse perfeita demais a história não teria a menor graça, mas ela consegue causar tumultuo em tudo e apesar de todos os seus traumas, Cary consegue muitas vezes enxergar o que está bem diante dos olhos de Eva e que ela não consegue se dar conta.

"Se você acha que ele vai se assustar e fugir, está muito enganada. Gideon olha para você como se não existisse mais ninguém no mundo."

"Resolver os problemas dos outros é fácil, difícil é resolver os próprios" e foi assim que Cary se flagelou por muito tempo e continuava se flagelando. Não havia terapia que curasse um passado transtornado. Era um ótimo amigo, mas tendia pelo lado tortuoso da coisa. Engraçado como é bom ler um livro que gostamos mais de uma vez. Da primeira vez que eu li a história, meu foco foi mais centrado no relacionamento de Eva com Gideon e deixei passar muitas coisas que estavam implícitas na história. Gideon era um homem podre de rico, mas não era feliz. Eva era uma mulher bonita, estabilizada financeiramente, mas também não era feliz. Ambos estavam tão habituados a viver na escuridão que foi muito difícil enxergar a luz quando se conheceram.

" - O que você quer então, porra?
  - Você! Eu quero você.
  - Isso você já tem. Quantas vezes preciso dizer?"

Tudo na relação de Gideon e Eva se resolvia através do sexo. Claro que olhando e analisando friamente torna a afirmação mais do que verdadeira, mas hoje, relendo a história, acabei captando algumas mensagens dos personagens. Ambos sempre foram atraentes, bonitos e sedutores, mas nunca haviam encontrado alguém que despertasse neles a mesma emoção. Ambos depositavam suas fraquezas no desejo que sentiam mutuamente, por isso que todas as brigas, todos o problemas e todas os dissabores eram resolvidos através do sexo.
Diante das dificuldades cada um reagia da forma que estava habituado. Eva fugia e Gideon se fechava.

Os pesadelos de Gideon tinham uma causa que ele se recusava em expor para Eva. Ele não estava preparado para aquelas revelações, mas, mesmo assim, ele não desistia de Eva, assim como ela também não conseguia desistir dele. O sexo era realmente o porto seguro dos dois e a certeza de que se pertenciam e se completavam. A certeza de que havia entre eles uma ligação muito mais forte. Paralelamente a esta relação começaram a surgir as pessoas incomodadas com a história e a felicidade deles. Christopher, o meio irmão. Magdalene, que apesar de não ser uma pessoa má, era uma pessoa volúvel e influenciável. Sua inocência e sua paixão por Gideon a levavam a cometer atos irritantes. Corine, a ex-noiva arrependida que voltou para infernizar a vida deles.


Gideon era um homem poderoso e muito rico. Aos 28 anos havia construído um império. Seu leque de negócios era extremamente extenso e variado, mas por trás de toda aquela pose de homem intransponível havia um garoto traumatizado, amedrontado e inexperiente. Durante anos Gideon lutou com todas as forças que tinha para ser alguém totalmente diferente da figura que havia sido seu pai. Um homem poderoso que se envolveu em um escândalo financeiro e que só encontrou como saída o suicídio. Isso tudo aconteceu quando Gideon era apenas uma criança, então, ele pouco se lembrava do pai. Para ele era imprescindível estar no comando, assumir todos os controles, mas isso, ele fazia com maestria. Gideon era um homem enigmático e quase inatingível para muitas pessoas, mas Eva foi a única mulher que conseguiu ultrapassar todas as suas barreiras. O Edifício Crossfire era o símbolo de sua magnitude, de sua personalidade.

Gideon estava disposto a fazer tudo por Eva, até mesmo terapia de casal. Duas vítimas de abuso lutando para manter o relacionamento e a sanidade de cada um. Neste primeiro livro fica evidente que Gideon fora vítima de abuso em sua infância, mas ele ainda não conseguiu se abrir, ao passo que Eva expôs seu drama. Isso só fez com que as antenas de proteção de Gideon se intensificassem.

A leitura flui com facilidade de rapidez, são 5 livros ao todo, mas quando você percebe, já devorou o livro. 

Boa leitura a todos e bom começo de semana!



Um comentário:

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!