6 de agosto de 2017

FILME - GETÚLIO (cinema nacional)

FILME - GETÚLIO

Agosto de 1954. O jornalista de oposição e dono de jornal Carlos Lacerda, sofre um atentado a bala na porta da sua casa em Copacabana. O pistoleiro erra o tiro e mata o Major da Aeronáutica Rubens Vaz, que fazia a segurança de Lacerda. O presidente da República, Getúlio Vargas, é acusado de mandar matar o maior inimigo político do seu governo. Getúlio passa a ser pressionado por lideranças militares e pela oposição para renunciar ao mandato. As investigações mostram que a ordem para o atentado saiu de dentro do Palácio do Catete. O tenente Gregório Fortunato, chefe da guarda pessoal do presidente e seu homem de confiança há anos, é acusado. Ao lado da filha, Alzira Vargas, seu braço direito na presidência, e colaboradores fiéis como Tancredo Neves e o general Zenóbio da Costa, Getúlio tenta se manter no poder e provar sua inocência. Diante das ameaças que pedem a deposição imediata do presidente, o presidente comete um ato extremo.


NOTA SOBRE O FILME:

"- (...) Eu fui um ditador. Enfrentei tudo e não me arrependo, em momento algum, de censurar os jornais, fechar o congresso e cancelar as eleições presidenciais. Sempre governei para o povo e me senti amado por ele. Foram as leis de proteção ao trabalhador, o salário mínimo, as férias remuneradas (...) "

O filme começa com uma declaração de Getúlio na voz de Tony Ramos.

O jornalista e adversário político de Getúlio Vargas, Carlos Lacerda sofreu um atentado, mas foi seu segurança, o Major Rubens Vaz quem morreu em seu lugar. O atentado, conhecido como o crime da Rua Toneleiro (no Rio de Janeiro) desencadeou uma série de acusações contra o então presidente Vargas. Tal crime foi oportunidade que Lacerda precisava para se eleger deputado. Os demais opositores se uniram para forçar a renúncia de Vargas, acusando-o de crimes como assassinato e corrupção.

"Esse tiro no pé do Lacerda acertou as costas do meu governo", disse Getúlio.

No atentado, estranhamente Lacerda levou um tiro no pé, que na minha opinião também foi uma situação forjada pelo Lacerda, interpretado por Alexandre Borges. O braço direito de Getúlio é sua filha Alzira, interpretada por Drica Moraes. Gregório, o homem de confiança de Getúlio foi incriminado pelo atentado, e o próprio alega que não era para ter sido como aconteceu e sim apenas uma forma de Lacerda saber que havia gente de olho nele, mas que algo saiu errado e fora do combinado. Ele cita nomes.

Getúlio sabia que ceder às pressões da aeronáutica e seus opositores culminaria em sua prisão. No filme, Getúlio menciona que em 24 de agosto de 1954 completaria 11 anos da morte de Getulinho, seu filho, que estaria então com 37 anos! Pesquisando mais informações a respeito deste fato, encontrei informações que não batem com o filme. Achei que Getulinho morreu em 02 de fevereiro aos 23 anos vítima de poliomielite. Fato é que em 24 de agosto de 1954 Getúlio Vargas se matou em seu quarto no Palácio do Catete com um tiro no peito.

“Saio da vida para entrar na História”, escreveu Getúlio Vargas em sua carta-testamento.

O filme é bem abreviado, afinal, estamos falando dos últimos 19 dias de vida dele, mas para quem gosta de história, vale a pena ler mais sobre Getúlio Vargas e sobre outros assuntos relacionados como "a Revolução de 1930", "o Estado Novo".

No meu conceito foi nota 3, mas poderia ter levado 5 se tivesse sido uma série ao invés de um filme, contando mais detalhes, mesmo que apenas uma temporada, ou mesmo uma mini-série. O filme estreou este final de semana no Netflix, então, se você é um assinante, vale muito a pena conhecer um pouco mais da história do Brasil e ver que safadeza, golpes, oportunismo e roubalheira é algo que só se aprimora a cada ano, a cada governo! Culpado ou inocente? Na minha opinião ele foi inocente e vítima de armações. Um governante do povo.

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:
  • O vice-presidente Café-Filho foi empossado presidente da República;
  • O general Zenóbio da Costa não participou do governo e alegou que "não poderia compactuar com uma trama indigna e diabólica";
  • Carlos Lacerda se elegeu deputado federal, com votação recorde e Lutero Vargas (filho de Getúlio) também foi eleito;
  • Gregório Fortunato (o homem de confiança de Getúlio) foi condenado  pela morte do Major e pela tentativa de assassinato de Carlos Lacerda juntamente com João Valente, Climério de Almeida, José Soares e Alcino do Nascimento (todos peixes pequenos);
  • Gregório acusou o General Mendes de Moraes, os Deputados Euvaldo Lodi e Danton Coelho e Benjamim Vargas (irmão de Getúlio) de incentivadores do atentado contra Lacerda. Todos peixes grandes e claro, investigados porém declarados inocentes pela justiça;
  • Em 1955, Juscelino Kubitscheck, aliado de Getúlio, foi eleito presidente da República.

"Se não fosse o suicídio de Vargas, 1954 já teria sido 1964. Você verifica: As lideranças de 64 são as mesmas de 54, com os mesmos objetivos. Para mim este é o aspecto mais importante do suicídio de Vargas" (Tancredo Neves).

Getúlio Vargas "se" matou. Juscelino "morreu" em um acidente de carro na Via Dutra e Tancredo Neves "morreu" de diverticulite, um dia antes de assumir a presidência da República.




0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!