5 de julho de 2016

FILME - JÁ ESTOU COM SAUDADES



JÁ ESTOU COM SAUDADES (Miss You Already)

Jess (Drew Barrymore) e Milly (Toni Collette) são melhores amigas desde a infância. Enquanto Milly se casou, teve dois filhos e construiu uma carreira de sucesso, Jess decidiu levar uma vida pacata ao lado do marido Jago (Paddy Considine). Após se submeter a um tratamento, Jess enfim consegue engravidar. Mas a notícia vem justamente quando Milly descobre ter câncer de mama e precisa passar por quimioterapia, o que necessitará do apoio não apenas da amiga, mas de toda a família.

NOTA SOBRE O FILME:

A sinopse deste filme diz exatamente tudo o que se passa nesta triste história. Sim, triste porque qualquer pessoa soba face da Terra, por mais forte que seja, jamais será capaz de enfrentar esta doença com tranquilidade.

Milly foi diagnosticada com câncer de mama e precisou se submeter ao famoso tratamento de quimioterapia. Mulher, uma carreira em ascensção, um casamento e dois filhos pequenos e uma amiga inseparável. Essa é Milly, que para completar ainda não tem uma relação muito amistosa com a mãe, afinal, esta é uma atriz e nunca foi muito "presente" na vida da filha.

Atrelado a doença ainda vem toda uma questão feminina, que é a vaidade. Milly vai enfrentar a queda dos cabelos, a decisão de raspar a cabeça e ficar careca, substituir os longos cabelos loiros por uma peruca. Vai se sentir feia, vai se sentir indesejada e menos mulher e ainda vai enfrentar a necessidade da remoção dos seios. Sim, mesmo com a quimioterapia Milly precisará retirar os seios por uma questão clínica, então, ao receber a notícia ela acaba se embriagando em um bar qualquer.

Enquanto tudo isso se passa na vida de Milly, Jess segue com sua vida pacata ao lado do marido e na intensa luta para engravidar. Quando finalmente isso acontece Jess sente a necessidade de omitir por um tempo a informação da amiga, afinal, ela se sente culpada por estar passando por uma fase de felicidade enquanto a amiga está amargando com a doença.

Aliás, este é um filme que retrata bem a realidade feminina, pois não é porque Jess e Milly são amigas desde a infância que tudo é um mar de rosas. Não sei ao certo se é pela necessidade de auto-afirmação, auto-preservação, auto-compaixão ou qualquer outro auto-alguma coisa que Milly acaba pisando na bola com Jess e a relação das duas acaba estremecendo. Fato é que eu acabei sentindo meio que Milly, naquele momento, acabou sendo muito mais egoísta do que permitiria seu status de "doente terminal". Por mais que ela necessitasse fazer aquilo para provar a si mesma  que ela ainda era capaz, ela não se importou em magoar e usar a amiga, sua única e verdadeira amiga.

Na minha opinião, o momento mais emocionante da história foi quando Milly raspou o cabelo, mais até do que a descoberta de um novo câncer. Sim. Desgraça pouca é bobagem na vida dessa mulher. Mais emocionante até do que ela, pela primeira vez, colocar a amiga acima de suas necessidades e procurá-la depois das merdas que fez. Você notará que Milly é o personagem principal da história enquanto Jess é apenas a sua amiga.

Para mim a história é nota 4, pois gostei bastante do enredo, do tema e da forma como eles lidaram com todas essas adversidades. Se você é um assinante do Netflix, assista agora mesmo, pois vale bem a pena se aventurar no gênero.

TRAILLER:

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!