1 de dezembro de 2015

LIVRO - GREY - 50 TONS DE CINZA PELOS OLHOS DE CHRISTIAN - E.L. JAMES

GREY - 50 TONS DE CINZA PELOS OLHOS DE CHRISTIAN - E. L. JAMES


Na voz de Christian, e através de seus pensamentos, reflexões e sonhos, E L James oferece uma nova perspectiva da história de amor que dominou milhares de leitores ao redor do mundo.

Christian Grey controla tudo e todos a seu redor: seu mundo é organizado, disciplinado e terrivelmente vazio – até o dia em que Anastasia Steele surge em seu escritório, uma armadilha de pernas torneadas e longos cabelos castanhos. Christian tenta esquecê-la, mas em vez disso acaba envolvido num turbilhão de emoções que não compreende e às quais não consegue resistir. Diferentemente de qualquer mulher que ele já conheceu, a tímida e quieta Ana parece enxergar através de Christian – além do empresário extremamente bem-sucedido, de estilo de vida sofisticado, até o homem de coração frio e ferido.

Será que, com Ana, Christian conseguirá dissipar os horrores de sua infância que o assombram todas as noites? Ou seus desejos sexuais obscuros, sua compulsão por controle e a profunda aversão que sente por si mesmo vão afastar a garota e destruir a frágil esperança que ela lhe oferece?


NOTA SOBRE O LIVRO:

Finalmente chegou o meu momento com o Sr Grey. Ele que conquistou meu coração, que foi minha primeira paixão literária está de volta, mas agora, sendo ele o porta voz desta história que tanto conquistou fãs. Eu estava muito curiosa para ler essa história e conhecer a versão dos fatos do Sr. Grey, no entanto, esta não me agradou.

1º Motivo: E. L. James conseguiu acabar com a visão dominadora, possessiva, intensa, segura e máscula do meu Sr, Grey.

2º Motivo: E. L. James não acrescentou nada de diferente que nos faça delirar e suspirar pelo Grey como deliramos e suspiramos com as versões da Ana e talvez seja porque aqui ele se mostrou um tremendo de um homem fraco, inseguro e inexperiente. O máximo do absurdo foi a família dele desconfiar que ele fosse gay simplesmente pelo fato de nunca terem tido conhecimento de nenhum relacionamento dele. Deduzi que esta foi uma forma da autora dizer que caso ele fosse gay a família não se oporia ou coisas do tipo.

3º Motivo: Ainda com relação a família Grey, achei que toda aquela pose de homem firme e glacial era vista apenas por Ana, já que na versão dele, eles viviam um relacionamento harmonioso e descontraído.

4º Motivo: Já li alguns livros em que um conta a versão de um e o outro conta a versão do outro personagem, mas que ao comparar as duas leituras a gente acaba absorvendo mais da história. Esse não é o caso. Na minha opinião E. L. James ferrou com tudo e é por isso que eu gosto tanto de narrativas do ponto de vista do narrador, porque assim ele expressa ao leitor tudo o que se passa com os dois personagens, simultaneamente, sem ter que ficar fazendo um capítulo pra cada ou um livro pra cada. Se isso servir de dica aos escritores, absorvam pois vale muito a pena, sem contar que muita gente já está se cansando de ler a mesma história duas vezes.

Quando eu li 50 tons, a impressão que a Ana nos deu desde o início era a de que Christian era um homem extremamente intimidador e arrogante, além de perturbado e muito seguro de si. Agora, conhecendo a versão dele, acabo tendo a ideia de que ele não é esse poço de segurança, ao contrário, Christian se revela um homem inseguro e muito inexperiente, principalmente com relação à Ana, além de estar totalmente dependente dela a ponto de perder até o foco no trabalho. Tudo o que Christian conhece de um "relacionamento" é o que ele viveu e aprendeu com a "Mrs. Robbinson" e também com as 15 submissas que ele teve nos últimos anos. Pasmem: Mrs Robbinson é quem "apresenta" as submissas para ele. Éeeeeeca! Outra coisa irritante é o joguinho de implicância entre Christian e Kate... sem sentido!

Bom, ver que Christian acabou perdendo aquela essência que Ana nos passou me incomoda muito e eu cheguei a quase desistir da leitura diversas vezes, até que realmente desisti. Desisti na página 326, logo após o jantar na casa dos pais do Christian. Acho que várias pessoas chegaram nessa mesma vontade enquanto outras adoraram. Eu esperava mais dele, mais arrogância, mais controle, mais domínio, mais segurança. A gente sabe que Christian é 50 vezes fodido, como ele mesmo diz, mas a verdade é que ele não está passando nada disso. Nem parece o mesmo homem. Fato é que mesmo apesar da "Deusa Interior", das chatices, das frescuras, das insistências, Ana foi melhor em sua narrativa. Ela nos passou como ela via nosso "Muso do BDSM".

No momento, vou partir para outra leitura e quem sabe em algum momento retomar a leitura de onde parei. Caso eu volte, conto para vocês como foi dali pra frente para mim!

E você já leu o livro?
Qual sua opinião sobre o livro?


ONDE COMPRAR O LIVRO:

Amazon (digital)
Amazon (impresso)
Saraiva (digital)
Saraiva (impresso)
Submarino
Americanas

1 comentários:

FPRozante Autora disse...

Caraca gêmula, agora ferrou. Vou deixar ele para ler quando tiver tempo sobrando :/ Muito triste isso. Estava esperando conhecer mais dele, e ver esse lado tão forte que ele tinha no primeiro.

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!