19 de junho de 2015

SÉRIE - CROSSFIRE - TODA SUA - #01 - SYLVIA DAY


SÉRIE CROSSFIRE - TODA SUA - LIVRO 01 - SYLVIA DAY

Eva Tramell tem 24 anos e acaba de conseguir um emprego em uma das maiores agências de publicidade dos Estados Unidos. Tudo parece correr de acordo com o plano, até que ela conhece o jovem bilionário Gideon Cross, o homem mais sexy que ela - e provavelmente qualquer outra pessoa - já viu. Gideon imediatamente se interessa por Eva, que faz tudo o que pode para resistir à tentação. Mas ele é lindo, forte, rico, bem-sucedido, poderoso e sempre consegue o que quer - Eva acaba se entregando. Uma relação intensa começa. O sexo é considerado por eles como incrível. Capaz de levar os dois a extremos a que jamais tinham chegado. E, então, eles se apaixonam - o que pode ser tanto a chave para um futuro feliz quanto a faísca que trará de volta os traumas do passado.


NOTA SOBRE O LIVRO:

Foi por causa desta série que eu conheci o meu sonho de consumo Henry Cavill. Quando li o primeiro e o segundo livro, ainda em 2013, fiquei simplesmente apaixonada pelo Gideon Cross e pela história como um todo. Eu estava me preparando para ler outro livro, mas ele ficou me chamando e me atormentando com a sua magnitude e onipotência e eu tive que ceder aos seus chamados para ler de novo a história.

Eva Tramell tinha vinte e quatro anos de idade e havia mudado recentemente para o Edifício Upper West Side juntamente com seu amigo Cary, um rapaz de corpo esguio, cabelos escuros, olhos verdes e de aparência incrível, porém bissexual e cheio de traumas assim como Eva. Eles estavam sempre juntos, mas aquele novo lar era o recomeço de tudo. Naquele dia Eva resolveu sair para cronometrar o tempo que gastaria de casa até o local onde começaria a trabalhar na manhã do dia seguinte. Manhatan! Era lá que tudo começaria.

A agência de publicidade Waters Fidel & Leaman, uma das maiores dos Estados Unidos era gerenciada por Mark Garrity e estava instalada no Edifício Crossfire Building e Eva seria a assistente dele. Para o padrasto, Richard Stanton (o marido número três), aquilo era absurdo e pura teimosia já que ele era um homem influente, riquíssimo e um dos magnatas do setor financeiro e poderia muito bem conseguir-lhe uma melhor colocação, além de ser apaixonado por Monica Stanton, a mãe de Eva e fazer-lhe todas as vontades, mas a garota queria apenas crescer com seus próprios méritos. 


"O terno feito sob medida já era suficiente para deixar meu sinais de alerta ligados, mas era o corpo esguio por baixo dele que o tornava sensacional. Ainda assim, apesar de toda aquela demonstração impressionante de masculinidade, foi só quando vi seu rosto que percebi o que havia de fato diante de mim. Uau. Simplesmente... Uau."

Quando chegou ao Crossfire Building Eva acabou topando com o enigmático Gideon Cross mesmo sem nem fazer ideia de quem ele poderia ser. Ela não era uma garota ingênua, pura, virgem e acanhada. Ao contrário, Eva ficou completamente fascinada com a visão do homem enigmático, misterioso e muito sexy.


"Olhei para seu terno civilizado, requintado e absurdamente caro e só consegui pensar em uma trepada violenta, de rasgar os lençóis."

Por não saber de quem se tratava, o apelido de "Moreno Perigoso" caiu como uma luva para o homem mais lindo do planeta. 

Na história nota-se uma amizade muito forte entre Eva e Cary e o que se sabe sobre ele é que ele passou a infância entre temporadas com a mãe viciada em drogas e lares adotivos e a adolescência em reformatórios juvenis e centros de reabilitação. Por ser muito bonito, tinha sempre homens e mulheres se jogando aos seus pés, ainda mais na posição de modelo, porém, atraia sempre os piores tipos de ambas espécies. Também não é necessário dizer que Cary não era nenhum bom exemplo de pudores e adorava uma badalação, inclusive, já estava borbulhando com a aproximação de um jantar beneficente que aconteceria no próximo sábado. O primeiro dia de trabalho de Eva foi extremamente bem aproveitado e a sintonia com o chefe foi imediata, quer dizer, tudo estava indo muito bem obrigada até que Eva deu de cara com o Moreno Perigoso, sozinho, dentro do elevador.


Ao meu ponto de vista, Eva começou com força total e me conquistou, mas o seu passado e os mistérios de uma infância perturbada não permitiam que ela fosse 100% segura de si e de sua capacidade de conquista. Apesar de ser filha de uma das socialites mais badaladas de Manhathan, Eva era o oposto de sua mãe e não se importava com requintes de luxo e riqueza. Para ela bastava viver uma vida confortável e segura ao lado do amigo inseparável, Cary. Quando colocou os olhos naquele moreno, a energia entre eles foi completamente palpável e notável. A diferença é que ele demonstrava uma segurança e um controle absurdo, no entanto, só ele sabia exatamente o que sentia ao vê-la. Eva continuava sem saber quem era aquele moreno sedutor que estava arrasando suas calcinhas... quer dizer, não sabia até se ver diante dele para uma reunião de trabalho.


"Porque eu quero comer você, Eva. Então, preciso saber se existe alguém atrapalhando meus planos."

Puuuuuuuuuuuuuuuuuuta que pariu!

Da primeira vez que eu li este livro, confesso que levei um choque ao ler esta frase porque eu não estava esperando que a reação de Cross diante de Eva seria tão abrupta e tão direta. O homem simplesmente soltou essa frase com a maior compostura e a maior classe. Juro que eu praticamente ouvi a voz dele pronunciando cada sílaba. Começava ali uma verdadeira caçada e Eva seria a presa e Gideon era implacável!

Ainda quero fazer um adendo com relação a mãe e ao padrasto de Eva. Bem, devido ao fato do que aconteceu com Eva no passado (que quem ainda não leu não sabe o que foi), a mãe se sentia culpada por não ter sido capaz de proteger a filha, então, agora, ela se sentia no direito de rastrear os passos de Eva e contava com a ajuda de seu atual marido, o que deixava Eva completamente frustrada e emputecida. Nesse ponto eu fico bem aborrecida com Monica Tramell porque quando tudo aconteceu ela simplesmente estava vivendo em uma bolha com o casamento da época e não há como negar que ela negligenciou a filha totalmente. Para ajudar, a mulher ainda era a rainha do drama! Cary estava começando a conhecer um carinha todo fofo, o Trey e a relação tendia a dar certo.


"Vou dizer tudo o que quero que você faça para me dar prazer, Eva, e você vai fazer tudinho... se me obedecer, vamos fazer sexo explosivo, selvagem, sem restrições. Você sabe disso, não é? Já está sentindo como as coisas vão ser entre nós."

OK!
Só avisando para quem ainda não sabe, esta é uma série altamente erótica e com doses cavalares de sexo, palavrões, momentos insanos e de puro prazer. Se não é o tipo de leitura que você gosta ou se você simplesmente acha um absurdo um conteúdo tão "pornográfico" (como alguns dizem), então não vale a pena ler. Esse é o tipo de história que só quem curte o gênero vai realmente gostar. Bom, o motivo para este momento de "filosofia" foi apenas para que eu pudesse me recuperar psicologicamente do Tsunami que é este homem. Pronto! 

Chegou o dia do jantar beneficente, que por coincidência, tanto Eva quanto Gideon estariam presentes, mas, algumas coisas saíram do eixo que mantinha Eva em certa segurança. Primeiro foi a reação de Gideon e segundo foi a presença de Magdalene Perez. De forma resumida, Magdalene era uma das apaixonadas da imensa lista de pretendentes de Gideon, porém, ela fazia parte da lista das que eram apenas amigas mesmo. Nada de amizade com benefícios, mas isso, porque Gideon não a via com estes olhos. Outro detalhe interessante era que todas as mulheres com quem Gideon era visto nas colunas sociais e nos eventos, eram morenas. Eva foi a primeira loira e isso, certamente, tanto causou espanto como ira na mulherada.

Quando a autora narra a forma impecável em que Gideon estava vestido na noite da festa foi impossível não associá-lo a esta imagem perfeita do homem mais lindo da minha vida. Sou definitivamente apaixonada por ele de todas as formas e incontestavelmente. Outra pessoa que apareceu na cena e que não me agradou nem um pouco (mesmo na primeira vez que li a história), foi Christopher Vidal Jr, o meio irmão de Gideon Cross. Basta ouvi-lo abrir a boca pela primeira vez para ter certeza do quão mau-caráter e invejoso ele era.


"Quero muito que você fique, Eva. Não culpo você por ter saído correndo daquele quarto, mas seu sumiço me deixou desesperado. Preciso de mais um tempinho na sua companhia."


Outro detalhe é que Eva tinha uma grande tendência à fuga. Sim! Literalmente fugir! Com seus problemas de autopreservação e medo do passado, dos traumas que a seguem desde muito tempo, Eva tinha a grande tendência de fugir! Nesse ponto Gideon era um campeão de corrida, pois ele estava sempre correndo atrás dela. Ela sabia o quanto era bonita e desejada, mas Eva não sabia lidar com isso, talvez pelas experiências do passado, enquanto que Gideon estava viciado em comportamentos programados. Ele nunca tinha tido um relacionamento como estava tendo com Eva, então, a tendência era acabar estragando as coisas inconscientemente. Duas pessoas problemáticas juntas só poderia dar nisso mesmo, muito embora esse fosse apenas o começo!

Um dos problemas na vida de Gideon eram os constantes pesadelos. Isso acabava com o moreno, mas na primeira noite que passaram juntos, Eva conseguiu lidar bem com a situação e de certa forma não se assustou. Eles estavam relacionados com o passado obscuro de Gideon, mas Eva ainda não sabia disso. Naquele momento ela estava preocupada com a exposição que ela estava tendo na mídia por conta de uma foto em que os dois haviam sido "flagrados" juntos. Eva tentava se esconder ao máximo possível, pois não queria jamais estar em evidência por conta do seu passado. Incrível como estes dois sofriam por motivos iguais: "medo do passado". Ela temia que tal exposição causasse constrangimento a ele.

"Na semana passada você reclamava dele porque só queria sexo. Esta semana ele anuncia pro mundo todo que está comprometido, que vocês dois têm uma relação amorosa, e você continua insatisfeita. Estou começando a sentir pena do sujeito. Ele não consegue dar uma dentro."


Boa Cary!
Isso mesmo! Essa Eva precisa de um tratamento de choque para largar de "mimimi". Tudo bem que se ela fosse perfeita demais a história não teria a menor graça, mas também, ela consegue causar tumultuo em tudo! Mesmo com todos os seus traumas também, Cary consegue muitas vezes enxergar o que está bem diante dos olhos de Eva.


"Se você acha que ele vai se assustar e fugir, está muito enganada. Gideon olha para você como se não existisse mais ninguém no mundo."


Além de enxergar o que estava bem diante dos olhos dela, ele ainda via Gideon com os olhos que o medo de Eva não a deixava ver. O único problema de Cary era quando se tratava dele mesmo. Como ele mesmo dizia "resolver os problemas dos outros é fácil, difícil é resolver os próprios" e foi assim que Cary se flagelou por muito tempo e naqueles dias, continuava se flagelando. Não havia terapia que curasse um passado transtornado. Era um ótimo amigo, mas tendia pelo lado tortuoso da coisa. Engraçado como é bom ler um livro que gostamos mais de uma vez. Da primeira vez que eu li a história, meu foco foi mais centrado no relacionamento de Eva com Gideon e deixei passar muitas coisas que estavam implícitas na história. Gideon era um homem podre de rico, mas não era feliz. Eva era uma mulher bonita e também tinha uma condição social, por conta dos casamentos da mãe, também estabilizada e sem restrições, mas não era feliz. Ambos estavam tão habituados a viver na escuridão que foi muito difícil enxergar a luz quando se conheceram.

A primeira explosão mais significativa para mim foi quando Eva contou para Gideon sobre seu passado e sobre o que tinha passado nas mãos do filho do primeiro marido de sua mãe, o Nathan. Devido a tudo que Eva havia sofrido, todos os traumas, todas as dores, ela imaginava que isso fosse afastar Gideon de sua vida. 

" - O que você quer então, porra?
  - Você! Eu quero você.
  - Isso você já tem. Quantas vezes preciso dizer?"


Várias pessoas, inclusive eu, comenta que tudo na relação de Gideon e Eva se resolvia através do sexo. Claro que olhando e analisando friamente torna a afirmação mais do que verdadeira, mas hoje, relendo a história, acabei captando algumas mensagens dos personagens. Ambos sempre foram atraentes, bonitos e sedutores, mas nunca haviam encontrado alguém que despertasse neles a mesma emoção, o mesmo desejo e a mesma necessidade e ambos depositavam suas fraquezas no desejo que sentiam mutuamente, por isso que todas as brigas, todos o problemas e todas os dissabores eram resolvidos através do sexo.
Diante das dificuldades cada um reagia da forma que estava habituado. Eva fugia e Gideon se fechava e isso tornava o relacionamento tenso, pesado, carregado, mas, ao mesmo tempo, eles não conseguiam ficar distantes um do outro por muito tempo.

Os pesadelos de Gideon tinham uma causa que ele se recusava em expor para Eva. Ele não estava preparado para aquelas revelações, mas, mesmo assim, ele não desistia de Eva, assim como ela também não conseguia desistir dele. O sexo era realmente o porto seguro dos dois e a certeza de que se pertenciam e se completavam. A certeza de que havia entre eles uma ligação muito mais forte. Paralelamente a esta relação começariam a surgir as pessoas incomodadas com a relação. A primeira pessoa foi Christopher, o meio irmão invejoso. Outra pessoa era Magdalene, que apesar de não ser uma pessoa má, era uma pessoa volúvel e influenciável. Sua inocência e sua paixão por Gideon a levavam a cometer atos irritantes, com isso imagino como ela se sentiu ao flagrar Gideon e Eva transando. Se saber já era certamente dolorido, imagino vendo!

A relação com a família também não era das melhores. Elizabeth Vidal havia se casado novamente com o então empresário Christopher Vidal, com quem teve outros dois filhos. Christopher e Ireland. Fica claro no primeiro contato de Gideon com a mãe de que aquela relação era mais do que desgastada e forçada. Por mais que Elizabeth tentasse se aproximar de alguma forma, embora nada inocente, Gideon não dava abertura. O fato é que a relação de Eva e Gideon sempre foi e sempre continuaria sendo conturbada e acho que esse era o ingrediente que dava sabor à paixão. Ambos estavam perdidamente apaixonados e para ambos aquele sentimento era novo. Mesmo com toda as relações que tiveram antes de se conhecer, nenhum dos dois conhecia aquele sentimento de verdade... até se encontrarem!

E quem era Gideon Cross?
Gideon era um homem poderoso, rico, muito rico e aos 28 anos havia construído um império. Seu leque de negócios era extremamente extenso e variado, mas por trás de toda aquela pose de homem intransponível havia um garoto traumatizado, amedrontado e inexperiente. Durante anos Gideon lutou com todas as forças que tinha para ser alguém totalmente diferente da figura que havia sido seu pai. Um homem poderoso que se envolveu em um escândalo financeiro e que só encontrou como saída o suicídio. Isso tudo aconteceu quando Gideon era apenas uma criança, então, ele pouco se lembrava do pai. Para ele era imprescindível estar no comando, assumir todos os controles, mas isso, ele fazia com maestria. Gideon era um homem enigmático e quase inatingível para muitas pessoas, mas Eva foi a única mulher que conseguiu ultrapassar todas as suas barreiras. O Edifício Crossfire era o símbolo de sua magnitude, de sua personalidade.

Gideon estava obviamente apaixonado por Eva, assim como ela por ele, mas mesmo sob a visão dela, a gente acaba enxergando coisas que Eva não conseguia enxergar. Gideon estava disposto a fazer tudo por ela, até mesmo terapia de casal. Duas vítimas de abuso lutando para manter o relacionamento e a sanidade de cada um. Neste primeiro livro fica evidente que Gideon fora vítima de abuso em sua infância, mas ele ainda não conseguiu se abrir, ao passo que Eva expôs seu drama. Isso só fez com que as antenas de proteção de Gideon se intensificassem. Nesse caso ele era mais pé no chão do que Eva, que apesar de ser uma mulher forte, não conseguia entender que seu algoz poderia surgir a qualquer momento, ou até mesmo outra pessoa poderia tentar algo contra ela, uma vez que ela estava na linha de frente tanto quanto Gideon, que chamava atenção por onde passava, até mesmo por sua condição financeira. Eva precisava lidar um pouco melhor com isso do que apenas ficar estressada toda vez que subtendia que estava sendo monitorada e se queixava da "falta de privacidade." Nesse sentido eu achei que ela foi infantil além da conta. O livro um entra em sua reta final com aquela sensação de "quero mais", mas sabemos que a trajetória desse casal não será nada fácil, afinal, quem surgiu (como se tivesse surgido das trevas) era Corine Giroux, que Eva ganhou de longe que se tratava de "mais uma apaixonada" por Gideon e o Dr. Terrence Lucas, que tinha uma rixa pessoal com Gideon, claro! O desenrolar da trama com esses dois novos personagens terão mais ênfase no próximo livro. O final me agradou, tanto na primeira leitura quanto agora na segunda sim, embora tenha ficado com o coração na mão até ler a última linha, mas fico aliviada por saber que até o quarto livro posso matar as saudades. Espero que esse chamado de Gideon na minha vida seja para daqui em breve sabermos sobre o próximo livro da série. Tomara que os anjos atendam nossas preces.

Não me preocupei muito em esconder os spoilers, pois esta é uma história bem conhecida, bem comentada. Ouso a dizer que a melhor da carreira de Slvia Day.

Depois de ler o primeiro livro novamente consegui acalmar um pouco mais minha necessidade de Gideon, então vou conseguir seguir adiante com outras leituras programadas e ir intercalando os demais livros da série novamente para vir falar com vocês sobre os demais livros. Está rolando uma agitação no perfil da autora Sylvia Day e com isso estamos todos na expectativa do lançamento do último livro da série (e rezando para que seja realmente o último e que desta vez a autora não decepcione seus leitores).

Estou indicando o kit onde os 4 livros já publicados estão sendo vendidos, pois o custo realmente é muito melhor do que comprá-lo separadamente. Clique sobre o nome do site indicado para a consulta e você será direcionado para o produto anunciado.



Saraiva (aqui só está vendendo avulso)
Submarino
Americanas









Ordem Cronológica

1) Toda sua

2) Profundamente sua

3) Para sempre sua

4) Somente sua

1 comentários:

Carol Yamashita disse...

Jesus, Maria, José!

Postar um comentário

DEIXE SEU COMENTÁRIO SOBRE ESTA PUBLICAÇÃO!